archive-br.com » BR » A » ADONLINE.COM.BR

Total: 824

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • adBlog | O design dos coelhos fosforescentes. - por:Lucio Pacheco
    de um coelho está estruturado de forma que cada traço produza correspondentes células dentro do um design do animal Os cientistas estão alterando esse código e introduzindo DNA de águas marinhas que agregada à estrutura do coelho lhe dá fosforescência Se o coelho precisa de fluorescência ou não talvez a teoria evolucionista de Darwin possa explicar O design do coelho foi sempre o mesmo ao longo de muitos séculos A fosforescência introduzida agora pode chamar atenção dos seus predadores entre eles o homem Uma marca analogicamente segue raciocínio parecido Cada ponto de visibilidade e contato com as pessoas está estruturando numa cadeia de percepções dos sentidos e agrupados segundo um design de produto ou serviço Toda marca tem traços interligados no processo de percepção e contato com as pessoas Cada ponto é planejado para as pessoas terem uma percepção positiva Imagem símbolos shape design cores etc são significantes da marca enquanto signo na teoria da semiótica Adicionar fosforescência a um coelho do ponto de vista competitivo seria desastroso Dentro da mesma metáfora um planejador poderia dizer que está dando um novo significado a um design conhecido e criando um novo posicionamento A história das marcas está cheia de coelhos fosforescentes

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=665 (2016-02-18)
    Open archived version from archive


  • adBlog | A experiência do serviço na construção de marca. - por:Lucio Pacheco
    saúde moradia informática telecomunicações e finanças pessoais Por isso o chamado foco no cliente está cada vez mais evidente no dia a dia No entanto poucas empresas e organizações realmente conseguem ter sucesso na criação de uma excelente experiência do cliente A forma como as empresas estão estruturadas frequentemente determinam como a prestação de serviços é planejada e realizada Infelizmente a lógica da estrutura organizacional e dos processos internos raramente coincide com a lógica do cliente Os processos internos e externos são muito difíceis de alinhar Por isso os pontos de contato que geram um grande impacto para os clientes nem sempre estão em foco com o departamento de Marketing ou de Comunicação Isso pode afetar seriamente uma marca meticulosamente construída assim como a reputação da empresa E se há uma coisa muito cara de se reparar são os danos de reputação O velho ditado é melhor prevenir do que remediar se aplica aqui Ouça seus clientes porque eles sabem muito bem o que querem e o que implica uma experiência de serviços positiva Os serviços devem ser funcionalmente distintos reconhecíveis confiáveis e surpreendentemente positivos Logicamente devem estar nos olhos dos consumidores e alinhados com a promessa da marca A disciplina usada no design de novos serviços ou a melhoria de um já existente é chamado Design de Serviços Design de Serviços na prática Junto com um número de clientes dos clientes é estabelecido o que poderia ser melhorado no processo de atendimento Que viagem o cliente quer fazer Em que ponto do processo de compra os potenciais clientes desistiram e por quê Que questões levam à perda de confiança e a raiva abertamente dos clientes Ou os atrasos no processo ou custos enormes de telemarketing para a empresa Em um processo de design interativo as necessidades dos clientes são

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=660 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Marcas para durar com produtos nem tanto - por:Lucio Pacheco
    para durar com produtos nem tanto 14 08 2013 Pela mídia de hoje a Europa no segundo trimestre começou a sair da recessão num estágio visto ainda primário pelo histórico da crise Tanto na fase Estados Unidos como na atual das diversas análises desencadeadas algumas delas apontaram a prática predadora do capitalismo como sendo o grande dragão A publicidade é cúmplice direta do capitalismo na forma abordada e pouco nela se falou Dorothy L Savers citado na abertura do livro de Vance Packard Estratégia do Desperdício um clássico da pesquisa consumo e obsolescência declarou Uma sociedade na qual o consumo tem de ser artificialmente estimulado a fim de manter a produção em andamento é uma sociedade fundada sobre lixo e desperdício e sociedade assim é uma casa construída sobre areia Nas últimas décadas várias vezes o chão de areia se moveu e levou a abalos na economia de muitos países Para a publicidade que tem como função estimular a informação e o consumo de produtos e serviços como atividade principal como mensurar o seu grau de participação nesse processo Os códigos de ética e as leis regulatórias da atividade como por exemplo normas para publicidade infantil horários para anunciar determinados produtos e até mesmo a proibição de publicidade de cigarro e restrições ao consumo da bebida são medidas que não tratam da questão da produção x consumo apontada por Dorothy L Savers Nessa perspectiva as marcas desenvolveram muito no sentido de práticas sustentáveis que envolvem sociedade e ambiente mas na questão do consumir em que momento ou quantidade é complexo e até mesmo contraditório visto que os seus objetivos de vendas são elaborados nas linhas macros da produção x consumo Mas uma coisa é visível o lixo urbano e a degradação da natureza em muitos lugares Deixe seu comentário Nome

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=657 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | De propósito e sem querer. - por:Lucio Pacheco
    força no marketing O conceito que circula com intensidade nos fóruns de marketing e branding é o Propósito da marca Aqui a regra é que tudo seja feito de propósito mesmo pois sem ele a marca não ganha força E Sem Querer pode passar associações não planejadas para a marca Esse mesmo conceito poderia ser expressado como Missão Objetivo Meta Sentido e outros mas quando uma palavra está sendo usada continuamente no idioma do marketing seguindo a regra o mercado busca um substitutivo e agrega conceito Com eles textos palestras encontros blogs sites livros Palavras pode ser as mesmas mas conceitos é que fazem a diferença no marketing e principalmente a evolução deles Outro exemplo é a redescoberta da palavra Arquétipo no linguajar desse mercado Os caros e trabalhosos Perfis Psicográficos começam a ser substituídos diretamente pelos arquétipos dos tempo dos Gregos passando pelo Jung e a seu célebre estudo do homem e os seus símbolos Outra troca interessantes é ETI de Etnográfico por NET Netnográfico gerando uma nova palavra e conceito de se fazer um pesquisavinda da antropologia Se faz hoje pela Internet um estudo de comportamento de pessoas na sua cultura pela suas manifestações e presença em redes

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=654 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Como marcas resistem à boatos. - por:Lucio Pacheco
    ou difamação aparece desde muito cedo na história Elas visam de forma nociva excluir um indivíduo ou grupo do convívio social Faz parte da história da Calunia célebre obra dos tempos da Grécia chamada a Calunia de Apeles pintada pelo artista para se defender dela e quando mostrou os seus diferentes componentes humanos No mundo do marketing a idéia de excluir alguém ou um grupo do convívio social pode ser entendido como excluir uma marca do mercado ou mesmo um grupo delas como tem as corporações Esse recurso de exclusão se examinado à luz da mídia de hoje tem um campo enorme para a propagação e que parte de uma atitude simples de falar o que ouviu falar É o Buzz Marketing usado pelo mal Como se proteger então desse risco As marcas tem por princípio um núcleo uma essência DNA em outra linguagem que determinam como todas as ações da empresa devem ser feitas para ser forte e coerente em torno dele Ninguém imagina que a Apple possa ser caluniada pela inovação que atingiria o seu núcleo enfraquecendo a marca como um todo As marcas fortes constroem barreiras de proteção e cinturões de segurança a partir da comunicação em

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=649 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Tem moda de todo preço. - por:Lucio Pacheco
    distintos entre outros no mercado de moda com relação o convencimento de comprar ou não determinado produto dentro de alguma moda As jornadas de compra de uma mulher da classe A e outra das classes BC passam por um processo de decisão de compra baseada em referências que podem estar na mídia e locais de frequência feminina além das lojas Para a consumidora das classes BC é importante que a moda de determinada loja esteja visível em mais lugares inclusive em marcas concorrentes Ser participante de uma tendência agrega valor à marca Por outro lado a mulher que compra moda de marcas mais personalizada precisa saber que a sua peça de roupa não faz parte de outras vitrines pois precisam do sentimento de moda única personalizada Mesmo esse grupo de classe A que compra personalização precisa saber que a sua roupa está inserida em determinado imaginário maioria das vezes temático para se sentir segura na sua identidade Tanto as marcas voltadas para o público A como para o público BC seguem na maioria das vezes a mesma matriz de comunicação da sua marca buscando através de associações a identidade e imagem publicitária Os coolhunters os chamados caçadores de tendência s que antes buscavam nas ruas a moda original que poderia revelar uma tendência hoje faz grande parte do seu trabalho através da Netnografia uma versão da pesquisa Etinográfica vinda da antropologia mas feita no ambiente digital No caso do Brasil onde o preçlo mas baixo significava fora de moda e pouca qualidade a classe C trouxe para os fabricantes uma mudança estrutural que passou a exigir das marcas moda de bom gosto com preços acessíveis em função do seu crescimento de consumo Hoje se faz moda boa e barata Toda a comunicação de imagem e identidade passaram a ter referências

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=645 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Estratégias para mudanças. - por:Lucio Pacheco
    de inovação tecnológica e gestão estratégica do Insead desenvolveu uma matriz indicativa do passo a passo para a implementação de agilidade estratégica a fim de preparar empresas e gestores para mudanças com ações certeiras e rápidas O acadêmico disse no entanto que antes de implementar a agilidade estratégica as organizações precisam identificar suas reais necessidades baseadas no momento de seus negócios Basicamente existem quatro direcionadores 1 Mudanças simples e lentas nesse cenário a solução mais funcional é focar na excelência operacional 2 Mudanças complexas e lentas as empresas têm como solução o planejamento estratégico que pode garantir previsibilidade e soluções futuras 3 Mudanças simples e rápidas permite que o processo decisório aconteça de forma descentralizada e que as organizações assumam mais riscos 4 Mudanças complexas e rápidas é nesse momento que se faz necessária a agilidade estratégica pois nenhum dos outros recursos atende de forma eficaz e eficiente o processo decisório De acordo com Doz em uma zona de perigo sinalizada pelo cenário de mudanças as empresas sofrem do que ele denomina de paralisia burocrática Ao invés de criar valor destruímos valor explicou antes de sinalizar que para criar valor a partir da matriz da agilidade estratégica é preciso trabalhar

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=640 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Por que não uma pesquisa em vez de plebiscito? - por:Lucio Pacheco
    tipo de consulta mobilizou todos os municípios brasileiros e milhares de pessoas para a sua execução 70 dias pede o TRE à consulta do planalto para um referendo da Reforma Política Será que essa consulta referendo não poderia ser feita por institutos de pesquisas A questão é constitucional ou as empresas de pesquisa não são capazes de trazer o resultado qualificado As pesquisas políticas feitas hoje não só no Brasil como no exterior asseguram um resultado com margens de erro tecnicamente aceitas e vindas da disciplina da estatística testada amplamente Se o IBGE faz censo onde a totalidade da população é tecnicamente alcançada não seria capaz de fazer uma pesquisa em prazo menor e com um custo imagino inferior e além de mais prática e envolvendo uma amostra representativa de todo o Brasil Quando você hoje observa as diferentes metodologias de fazer pesquisa considerando os recursos modernos e digitais como conjunto dessas ferramentas combinadas percebe que não só se sabe mais do mercado do que antes e numa velocidade muito maior Decisões que antes que eram apoiadas por pesquisas quantitativas ou qualitativas próprias hoje são decididas baseadas no conhecimento do segmento de mercado posicionamento de marcas e os rastros deixados

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=639 (2016-02-18)
    Open archived version from archive