archive-br.com » BR » A » ADONLINE.COM.BR

Total: 824

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • adBlog | Tadeu Viapiana
    o povo americano em pesquisa disse concordar com a espionagem de seus dados pelo Estado desde que baseada em ordem judicial A pergunta foi mal feita Claro que num país legalista a resposta só poderia ser essa Qual seria a resposta se a pergunta indicasse que o governo exorbitou e fez uma ação de vigilância em massa indo além Continuar lendo 0 comentário s Educação é fator decisivo de sucesso 03 06 2013 Aqueles que acompanham a coluna aqui na Adonline sabe que o tema da educação é um dos meus preferidos Por várias razões Porque o acesso à educação de qualidade é um direito de cidadania Porque ela é um elemento fundamental na construção de uma sociedade civilizada Porque a educação é fator preditivo de realização pessoal e profissional E por fim Continuar lendo 0 comentário s Barbosa e o Congresso 23 05 2013 Os políticos quase todos caíram de pau no presidente do STF porque ele disse numa palestra a estudantes brasilienses aquilo que todo mundo sabe mas por alguma razão não fala Ele afirmou que os nossos partidos políticos são de mentirinha e que o Congresso Nacional é ineficiente e inteiramente dominado pelo Poder Executivo Disse mais que não nos identificamos com Continuar lendo 0 comentário s A Venezuela e o papel higiênico 16 05 2013 Seria cômico se não fosse trágico Seriamente o governo da Venezuela anunciou que vai importar 50 milhões de rolos de papel higiênico É um vexame gigantesco para a revolução bolivariana Vejam a que ponto pode chegar um país por desrespeitar os ensinamentos mais básicos do funcionamento da economia Há Continuar lendo 0 comentário s De novo as cotas 30 04 2013 Outro dia escrevi aqui que o problema das cotas é que elas não tocam no problema crucial da educação brasileira

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/index.asp?blog=6&pagina=2 (2016-02-18)
    Open archived version from archive


  • adBlog | Quem mexeu na minha marca? - por:Daniel Ferreti
    ambiente incide diretamente em sua marca Não adianta pensar que criar uma campanha sobre sustentabilidade irá contrapor a imagem negativa de quando um dos seus produtos está sendo testado em animais Na era conectada basta um tweet sair do controle que a marca já é penalizada Quanto penalizada Depende do poder de repercussão e dos interlocutores Mas isso irá derrubar minhas vendas no dia de hoje Provavelmente não mas o acumulo deste efeito é devastador Um cigarro não prejudica seu rendimento na corrida matinal hoje mas se acumulado poderá fazer você morrer mais cedo A boa gestão da marca é disciplina pura Uma disciplina que além de integrar e alinhar a comunicação e a publicidade se torna um processo diário de busca pela entrega da experiência ótima alinhada aos valores e estratégia das empresas E isso vai da busca incessante pela excelência operacional até os tweets de Bom dia E quando é necessária alguma mudança algum ajuste a marca se manifesta em sua identidade visual ou logo Por isso empresas como Google Facebook Tam e Lan recentemente apresentaram suas novas logos e seu novo padrão de identidade visual Isso simplesmente exterioriza uma estratégia de marca uma nova diretriz de experiência do consumidor ou celebra a junção de duas empresas sob uma única marca No caso da Google e de muitas empresas de tecnologia que vêm atualizando de forma quase imperceptível suas marcas este redesenho reflete sua estratégia de expandir para todos os dispositivos de ser replicável escalável e amigável ao seu público alvo Não é a estratégia da marca que define a estratégia de negócios mas ambas devem sempre andar próximas Por isso que as crises e movimentações de mercado são boas oportunidades para se rever a estratégia da marca Outro ponto que fazem grandes empresas e organizações retomarem projetos

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=841 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Geração Y e a diferença entre ser e estar velho - por:Daniel Ferreti
    publicidade conseguem chamar a atenção destes jovens mas falham em prende la Parece que a Geração Y nasce com um processador Dual Core onde ele faz tudo ao mesmo tempo e manter alguém focado e concentrado em algo é praticamente impossível Dentre as diversas discussões e cases apresentados uma questão ficou evidente A geração Y é verdadeiramente global Diferente das outras gerações especialmente os Baby Boomers esta se comporta de forma muito similar seja na Coréia na Austrália ou no Brasil Sem um cenário de guerras como no passado uma certa estabilidade econômica a globalização e o mundo em rede podemos dizer que certas receitas para atrair reter e trabalhar com esta geração podem ser aprendidas em qualquer canto do mundo Outra lição importante é que a dinâmica da comunicação muda drasticamente com este grupo Qualquer estratégia que tenha como essência uma comunicação unidirecional irá falhar Simplesmente não cola De nada adianta comunicar a este jovem ele somente interage ao diálogo Se você não estiver disposto ou não possuir os instrumentos para dialogar com eles você será apenas uma empresa chata fazendo barulho e contando vantagem A geração Y não se dá por satisfeita recebendo informações se ele não puder transformá la ele a descarta Se ele não puder curtir compartilhar ou escrever a respeito em um blog não tem valor para ele Alias outra grande diferença é o próprio sentido da palavra valor para a Geração Y pesa mais o como do que o que Não adianta fazer o bem você precisa explicar como vai faze lo Resumidamente se você é da geração Y deve ter pulado direto para os bullet points de qualquer jeito A geração Y não quer ganhar dinheiro quer ganhar relevância Dialogue de forma despretensiosa Um bom dia na fanpage da sua empresa pode ter

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=637 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | O ponto da virada: epidemia revolucionária - por:Daniel Ferreti
    epidemia A regra dos eleitos o fator de fixação e o poder do contexto A regra dos eleitos mostra como movimentos enormes milhões de pessoas sofrem influencia direta de apenas 20 da massa que segundo ele tem uma série de habilidades sociais e possibilita o movimento estar conectado e ativo a seu propósito O fator de fixação é o conteúdo que nutre a causa e mobiliza por transmitir efetivamente o motivo de qualquer movimento em massa Por fim o poder do contexto que é a plataforma na qual a mobilização está instalada Pode ser um segmento mercado ou país como é o caso que vivemos atualmente Sem a pretensão de fazer uma resenha do livro vamos tentar entender estes movimentos como uma epidemia Malcolm descreve empresas que conseguiram de forma estruturada ou por acidente se aproveitar da viralização de uma marca case Hush Puppies fixação através da gestão de conteúdo Sesame Street e a influencia do contexto em mudanças de larga escala queda brusca na criminalidade em Nova York sob gestão do prefeito Giuliani Mas como aplicamos o modelo de Gladwell as manifestações 1 A regra dos eleitos vemos nas fotos das redes sociais avenidas lotadas escutamos os manifestantes pelas ruas e se fala de centenas de milhares de participantes mas efetivamente não estamos falando de muita gente Mesmo somando 200 mil quem foi para as ruas é jovem classes A e B com acesso a educação de qualidade A grande massa os 200 milhões são das classes C e D adultos trabalhadores estão no sofá vendo a novela É a triste realidade e estes tem que estar engajados para que o Brasil mude No entanto os 200 mil tem certamente uma habilidade de mobilização organização e engajamento que faz o movimento permanecer ativo e crescer São os eleitos sejam eles plantados por um partido político ou promovidos por suas competências 2 O fator de fixação O conteúdo das manifestações não é o pleito em si mas como ele é comunicado Muitos falam que não se trata de apenas R 0 20 e eles tem razão Uma foto de um jornalista ou manifestante sendo agredido por um policial independente do que efetivamente ocorreu é um poderoso instrumento de disseminação de conteúdo pois mais pessoas irão se unir a causa que mais lhe fixou As redes sociais ajudam muito nesta dinâmica a repressão e a censura efetivamente acabaram 3 O poder do contexto Aqui está o maior mistério o Brasil era um dos países supostamente menos propensos a este tipo de reação neste momento por um apanhado de motivos o primeiro deles é que historicamente somos uma nação que pouco sai as ruas clamando por mudanças não fazemos panelaços fazemos poucas greves se comparado a outros países Outro ponto que é de coçar a cabeça é a própria popularidade da Dilma que em março deste ano foi a mais alta de seu mandato com 65 ótimo bom e que a dois meses atrás ela tinha 52 8 das intenções de votos

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=599 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Co-criação na era do individualismo - por:Daniel Ferreti
    relevância e momentum na era do individualismo É aqui o clímax desta reflexão Não existe bandido e mocinho Tanto a co criação e os movimentos colaborativos assim como o individualismo são os mocinhos da história Alias porque será que a palavra individualismo ganhou uma fama tão ruim Sinônimo de uma atitude solitária e antissocial Não precisamos ir longe para entender o melhor sentido da palavra até na Wikipedia tem uma definição mais neutra O individualismo sob a ótica do marketing e da comunicação é um dos grandes trunfos e conquistas das últimas décadas Nos anos 50 você era todo mundo não existiam grupos você fazia parte da massa Já nos anos 70 surgem as tribos e os grupos por interesse mas a comunicação seguia pasteurizada feita para todos os gostos Já nos anos 80 surgem os segmentos o público alvo e novos canais que permitiam construir mensagens distintas para grupos específicos Mas foi a partir dos anos 90 que chega o marketing 1 to 1 do Michael Porter forçando as empresas de serviços a usarem e abusarem do marketing direto até a chegada da internet Porter que recentemente viu falir o seu Monitor Group por consequência de problemas financeiros provindos da crise de 2008 já tratava uma mensagem uma oferta ou um produto para uma só pessoa Porém seus modelos de clusterização sabiam apenas que quem recebera aquela mensagem tinha propensão para fazer algo com aquilo Ele não conseguia dizer se você gosta de macarrão com molho vermelho ou branco Era uma aposta estatística assim como uma mensagem colocada em uma garrafa e atirada ao mar Era a mesma coisa que mirar uma estrela no céu e transmitir uma música dos Beetles esperando que alienígenas escutem e respondam E se eles gostam mesmo é do Naldo Com as redes sociais

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=453 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Quem é Cyborg levanta a mão - por:Lucio Pacheco
    07 2014 Um segmento rosa de refrigerantes Página Inicial Blog Lucio Pacheco Quem é Cyborg levanta a mão 02 06 2015 Pode ser a mão biônica ou humana Quem tem prótese dentaria o Anderson Silva recém implantado na perna mulheres que usam Silicone homens com Botox pessoas com lentes implantadas são cyborgs a mistura de matéria orgânica no caso o corpo humano com peças e adereços tecnológicos O mais conhecido de todos os Cyborgs é o Homem de Seis Milhões de Dólares da TV que a preço de hoje deve valer muito menos com os novos materiais e tecnologias desenvolvidas nesse tempo Os Cyborgs voltam à tona na discussão do homem e a máquina ou tecnologia x homem que nessa semana está na capa da Exame Astronomy e outras fontes importantes É interessante como que o conceito de Cyborg começa a voltar na mídia resgatado dos anos 70 da famosa série e deve vir dando cobertura lúdica a essa discussão que daqui para frente ganhará mais espaço e certamente deve estar nas novas séries em estudo das produtoras Já está nos fóruns de antropologia Deixe seu comentário Nome e mail Comentário Comentários BLOGUEIROS ADONLINE Luiz Henrique Rosa Ser Beta Tadeu

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=794 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Uma tendência a mais no trabalho do Robert Leduc. - por:Lucio Pacheco
    pelo marketing e publicidade dos anos 70 escrito nos anos 60 pelo homem de marketing Robert Leduc numa edição francesa de primeira linha Um marco Mesmo lendo se hoje continua sendo um trabalho muito fundamentado sobre como lançar um produtos aos viés do consumidor mercado trade pesquisa publicidade política de preço e vários outros fatores O que data o trabalho em termos de visão de época está na parte inicial do livro referente às tendências de base que possibilitam o lançamento de produtos novos Ele mostra quatro As tendências Demográficas Econômicas Comerciais e Sociológicas Essas quatro dimensões da mercado eram a base de tudo O que pode gerar um comentário é a falta para os dias de hoje da dimensão Condições Climáticas do planeta Os grandes relatórios de peso sobre tendências de mercado ou sociológicas passam e se baseiam muito nela As diferentes ocorrências do clima no mundo e em especial no Brasil nesses dois últimos anos colocam mais uma variável na complexa equação dos movimentos dentro de uma tendência de mercado Estudar a Seca do Sudeste agora é um exercício de análise de tendências e conseqüências comerciais Os segmentos de balde e bacias entre centenas de outros são conseqüências

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=793 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Agência de publicidade, branding e consultoria. - por:Lucio Pacheco
    marca Colocado dessa forma parece que basta um cliente ter um objetivo de marketingde um lado e do outro um menu de empresas que você encontra o fornecedor ideal A escolha de uma parceria para construção e ou manutenção de marca está além do modelo de negócio envolvendo gestão e o insumo estratégico vital na construção do brand Você pode terceirizar o branding para uma agencia de publicidade com serviços integrados consultoria de marcas ou montar um departamento de branding interno O modelo de gestão de serviços integrados de agências tem as suas origens no século XX quando os clientes delegavam a uma agencia a gestão e produção das atividades de comunicação das suas marcas Era muito eficaz pois bastava um gestor por parte do cliente para a coisa rodar do outro lado Pesquisar criar estratégia comunicar e avaliar o desempenho ficavam num mesmo plano de trabalho Com o incremento e substituição de ferramentas para o melhor desempenho das marcas na comunicação digital ficou tudo mais complexo e surgindo dai as plataformas multidiciplinares ou holdings liderados por uma empresa de consultoria de branding Núcleos de serviços das agências mudaram para empresas especializadas design publicidade relações públicas planejamento entre outras e se conectam lideradas pela empresa de consultoria O terceiro modelo é o do Marketing integrado Tem similaridades com os outros dois mas tem em seu núcleo bons profissionais diversos pensam e planejam os movimentos da marca de forma a unificar o conteúdo que circula pelos canais de comunicação A coordenação e a liderança dos projetos é compartilhada O último modelo está muito ligado a co criação e as tendências dos designs thinking e service Na prática os modelos se misturam e são avaliados pelo resultado que produzem em termos da valoração da marca A melhor opção para trabalhar com a

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=786 (2016-02-18)
    Open archived version from archive