archive-br.com » BR » A » ADONLINE.COM.BR

Total: 824

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • adBlog | Como será o nosso futuro? - por:Tadeu Viapiana
    os demais países emergentes que fazem parte do grupo em que nos encontramos hoje Argentina china India México e Perú irão nos ultrapassar Todos com exceção da India devem crescer mais do que nós A renda média da Argentina vai passar de US 10 mil para US 29 mil A da China de US 2 5 mil para US 17 mil A do México de US 6 2 mil para US 21 mil Do Perú de US 2 9 para US 18 mil Enquanto isso o Brasil irá de US 4 7 mil para apenas US 13 mil A que se deve atribuir o nosso provável baixo desempenho Pelo menos a três fatores O primeiro deles é o fim do bônus demográfico Até 2030 o Brasil terá a vantagem de ter mais pessoas em idade de trabalhar do que aposentados e crianças o que é muito bom Depois disso a situação muda Teremos mais crianças e idosos para sustentar e menos homens e mulheres para criar riqueza Por exemplo em 2050 enquanto o Brasil terá 23 da população com mais de 65 anos o Perú terá 16 e o México 20 A taxa de natalidade brasileira está caindo quando deveria estar subindo O segundo é que o Brasil tem uma situação de poupança doméstica baixa o que limita os investimentos Hoje poupamos menos do que 15 do PIB enquanto a índia poupa 35 a China 53 A poupança baixa limita o investimento e em consequência a economia cresce menos Enquanto a nossa projeção de crescimento médio anual é de 3 o Perú deve crescer 6 a India 7 e a China 8 Por fim como já comentamos aqui várias vezes o Brasil está se mostrando lento para resolver problemas antigos de infraestrutura como estradas portos aeroportos e custo de energia

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=436 (2016-02-18)
    Open archived version from archive


  • adBlog | Tadeu Viapiana
    em quase tudo na política na sociedade ou na economia é difícil apontar um fator decisivo aquele que sobredetermina os demais Em primeiro lugar as qualidades do candidato constituem um dos fatores críticos de sucesso Se ele for experiente qualificado e conhecido sem dúvida suas chances aumentam muito Mas ainda assim a literatura eleitoral está repleta de Continuar lendo 0 comentário s De quem é a cidade 26 09 2012 Nestas eleições um dos raros temas que tem atraído a minha atenção é a mobilidade urbana mais especificamente o subtema transporte público Como ocorre também em outras áreas são poucos os candidatos que colocam o dedo na ferida e propõem soluções pertinentes A verdade é que as grandes cidades brasileiras foram literalmente ocupadas pelos carros ou seja pelo transporte individual Esse Continuar lendo 0 comentário s O novo eleitor 18 09 2012 Outro dia comentei aqui sobre o novo eleitor que está aparecendo nesta eleição Ele é mais pragmático e portanto menos ideológico e quer um prefeito de resultados Numa longa entrevista publicada ontem 16 09 no jornal O Estado de São Paulo o historiador Boris Fausto autor do clássico A Revolução de 30 e de outros livros igualmente importantes traz novas contribuições ao Continuar lendo 0 comentário s Horário eleitoral gratuito prós e contras 10 09 2012 Talvez muitas pessoas não saibam que o horário eleitoral de gratuíto só tem o nome ele é pago Neste ano as empresas de televisão e de rádio devem receber por conta dos espaços que cedem aos partidos políticos aproximadamente R 600 milhões de reais Talvez esse valor não chegue perto da receita que TVs e rádios teriam com a venda Continuar lendo 0 comentário s O eleitor e a política II 27 08 2012 As ideologias infelizmente não podem ser abolidas Elas

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/index.asp?blog=6&pagina=4 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Netnografia ou Etnografia. - por:Lucio Pacheco
    Em planejamento nas áreas de marketing e comunicação estão chegando novas ferramentas para auxiliar no raciocínio estratégico de um plano Para que se possa formular raciocínios considerando a dinâmica do consumidor e os meios que o atingem é necessário também utilizar recursos de pesquisa advindo dessas novas tecnologias e dos diversos comportamentos deles Como me disse um amigo planejador os avanços na publicidade são iguais na medicina radiografia ainda é usada junto com ressonância magnética por mais distante no tempo que sejam Pesquisas quantitativas e qualitativas nas suas formas mais clássicas estão sendo usadas com as de tendências rastreamento de sites blogs estudos de consumidores multiplicadores e tantas outras técnicas que chegaram O que é moderno então em termos de raciocínio estratégico A Netnografia ou a Etnografia Usar a tomografia ou a ecografia Eu diria que moderno é entender o que cada cada uma dessas técnicas têm de vantagem e desvantagem e usá las de forma combinada ou não As coisas já estão bem complexas para quem planeja e nada de complicação A pesquisa como conhecemos desde a segunda geração do marketing está sendo substituída recuperdada inovada e ou conjugada por novas técnica advinda também do mundo digital Estamos falando de caçadores de tendendência coolhunter uncoolhunter pesquisadoresde redes sociais caçadores de retrô observadores de tribos sociais moradores temporários na casa de consumidores e lá vem mais No planejamento a pesquisa independente da sua forma vem diminuindo o seu peso como fator decisório e passando a fazer parte de um conjunto de informações estratégicas das empresas Os filmes da pesquisa do Fogoe da Roda clássicos do estudo qualitativo ilustram como metáfora da Idade da Pedra o quanto a pesquisa pode influenciar errado numa decisão estratégica se não desconsideramos o seu complexo cenário http www youtube com v ku4Ugw0lQ4Q hl pt br

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=714 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Quando o papel de presente soma ou subtrai da marca. - por:Lucio Pacheco
    o papel de presente soma ou subtrai da marca 19 12 2013 Uma das muitas preocupações que uma pessoa tem na hora de comprar um presente é o papel e o selo da loja Milhares de produtos que não tem imagem de marca no sentido do branding se beneficiam da imagem e prestígio da marca da loja que o embrulha o presente Casos comuns de artesanatos e produtos de design que não são marcas Papeis reciclados e ou produzidos com sustentabilidade agregam ou desagregam imagem ao presente também Existe uma diferente escala de valores agregados ao produto dependendo da marca de onde se compra e considerando a do produto comprado A relação de valores nessas trocas de imagens podem ser previstas tanto no branding do lojista como no da indústria Um aceitar o outro como parceiro seja como produtor ou comerciante é associação que deve ser considerada na proposta de valor das marcas Marcas reconhecidas podem ser vendidas até em depósitos sem perdem reputação caso de outlet Nessa movimentação de imagens que estão tendo as classes sociais no Brasil que procuram diferenciar um consumidor do outro em termos de valores simbólicos as lojas com boa imagem no segmento estão ganhando com isso Comprar um conjunto de Panelas Inox num supermercado e com o seu papel ser embalado dá menos status que comprado numa loja voltada para objetos e design de casa Essa relação de transferência de manter agregar ou desagregar prestígio ao produto embalado não se vê muitos estudos a respeito Uma extensão do mesmo conceito de vestir o presente de prestígio se transfere para o caminhão de entrega os uniformes e aparencia dos entregadores Acho que raramente as campanhas de marca abordam por esse lado embora na cabeça das pessoas isso já vem de muitos Natais Deixe seu comentário

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=706 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Estão vindo as marcas colaborativas. - por:Lucio Pacheco
    ou serviço de outro para que vcocê possa exercer a sua preferência As diferentes disciplinas do branding servem ao mesmo propósito associar marcas a valores Não se vê marcas com a sua comunicação incentivando que um mesmo produto possa ser usado por diferentes consumidores pois a empresa deixaria de vender dois por exemplo Ao contratário as empresas tende a fazer a venda one to one Agora surge um movimento de consumo que põe muitas marcas sob revisão pois podem fazer parte do Consumo Colaborativo onde o mais importante é possuir e não ter Hoje é possível pesquisar na rede se alguém que more por perto tem um cortador de grama para emprestar por exemplo Uma fiuradeira foi feita para ter a sua posse ou o seu benefício Furar também pode ser compartilhado e muita gente faz isso a muito tempo O Consumo Colaborativo parte do princípio de que todo mundo tem alguma coisa em desuso Tempo espaço dinheiro produtos etc E todas essas coisas possuem valor O pessoal do branding começa arregaçar as mangas e repensar as suas marcas para oferecerem benefícios além do cliente e proprietário usuário O impacto disso claro irá também para as vendas Um movimento de

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=703 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | Marca x demanda. Quem manda? - por:Lucio Pacheco
    de demanda x produção Da noite para o dia quem pouco vendia por causa da instabilidade da moeda passava para uma um problema de falta de produção fornecedores transportes e vários outros da sua logística Nessas horas era mais importante ter produto do que marca visto que todo o segmento era demandado O socialismo e o capitalismo de estado como já tivemos fases na história recente do Brasil traz muitos problemas para marcas É bom lembrar que passada a euforia o consumo o mercado entrava em recessão e marcas estáveis e fortes tinham uma conta maior para os seus acionistas Pegando como exemplo o setor de bebidas donos de bares e restaurantes reclamavam que por terem sidos clientes fiéis há muito tempo eram desabastecidos por conta da ampliação da cadeia de distribuição de novos PDVs e portanto faltando produtos para todos As marcas não só viam oportunidade de expansão da redes de PDVs como precisavam franquear a entrada de concorrentes na sua área de influência Essa reacomodação dos valores simbólicos e econômicos tem levando as empresas a usar o recursos da extensão de linhas de suas marcas em vez de criar novas para o seu potrilho Das diferentes extensões possíveis quatro chama à atenção Aplicação de expertise 65 Capacidade de produção Uso do poder 21 Poder fazer e vender pela força do negócio e da empresa Concentração no Target 15 Exploração das conexões Transferência de personalidade 19 Valores projetados Essas informações da consultoria do jaime Troiano mostra que como manda o figurino as extensões devemser feitas considerando a essência da marca O DNA que determina se a família cresce ou não Bom o que se observa é que as empresas tem usado esses caminhos na sua matriz comercial sem considerar muitas vezes se o consumidor se enxerga da arquitetura de

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=701 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | O registro de marca é estratégico para negócios. - por:Lucio Pacheco
    11 2013 Se fala muito sobre o registro de marcas do ponto de vista dos direitos autorais e propriedade intelectual principalmente O que pouco se fala é o sentido da lei dentro da construção de marca que também se fundamenta num princípio de branding que Marca é tudo que diferencia um produto uma empresa de outra Se registra nome sobrenome logotipia símbolos cores e outros elementos que fazem diferenças dentro desse propósito de ser garantido pela lei o direito de ser único tanto na percepção visual e auditiva Esse parece ser um dos motivos para o grande fluxo de pedidos de registro que são feitos ao INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial que pela sua demora de meses e até anos é mais um gargalo no contra fluxo do aquecimento da economia que tem necessidades em construir marcas e não apenas fabricar produtos ou prestar serviços Esse pensamento que circula muito nos raciocínios de planejamentos à luz da lei tem o mesmo propósito que é garantir uma identidade única à empresa Além disso ter a sua identidade registrada é um fatores de cálculo de uma marca no seu processo de avaliação de valor financeiro ou seja quanto ela representa de negócio para a empresa Diferentes marcas registradas têm além do nome e das suas associações com elementos de valor para o consumidor um papel na economia atual do Brasi A competitividade de um país também se mede pelo seu capital de suas marcas registradas Muitas empresas brasileiras inclusive exportadoras não tem o registro de suas marcas sendo um multiplo negativo no caso de avaliação do valor monetário da marca e consequentemente da empresa Tenho como costume seguindo a orientação de escritórios de branding antes e depois do planejamento passar para avaliação de um advogado especializado pois no Brasil de hoje

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=694 (2016-02-18)
    Open archived version from archive

  • adBlog | A marca do craque. - por:Lucio Pacheco
    esteira seguem a estratégia do maior jogador da atualidade Messi e começa a do grande candidato ao título o Neymar Outros grandes jodagores correm na mesma raia Cada um desses ídolos midiáticos associa a sua imagem a diferentes espectos da construção de brand como gols camisa estética performace etc Neymar tem mostrado as belas jogadas Messi os gols Quando você olha para o belo trabalho de comunicação do David Beckam uma marca pessoal muito bem construída imagina que com ele existe um dos trabalhos mais bem feito na área do Personal Branding Andy Milligan eu seu livro Brand It Like Beckhan mostra toda uma estrutura de percepção e comunicação da personalidade passando pelas questões de estética ética família futebol do jogador e que o levou a ser um dos maiores valores de marca da década Mas quando você olha a marca do Pelé é mais personal branding ainda apesar de começar em 1958 Em 1969 os correios fizeram esse selo dos 1 000 gols do Pelé Nessa peça simples um selo estão explicitas dimensões da sua marca que fizeram tanto sucesso e que não devem ter sido planejadas por nenhum escritório de branding Ele tem até hoje alguns ícones que através de cada um se vislumbra o Pelé numa cadeia de associações de fazer inveja as grandes marcas mundiais O nome original O salto de quando marca um gol é consagrado e próprio dele A camisa com o 10 memorável Os 1 000 gols um associação para a marca na época inédita e única E claro o seu nome pessoal separado do nome fantasia mas cinérgico com ele Uma coleção de ícones O Edson Arantes do Nascimento foi um planejador de branding nato e original Certamente o cliente dos sonhos de muito profissional Como ele nesse critério de valor das

    Original URL path: http://www.adonline.com.br/ad2005/blog/coluna_detalhes.asp?idBlog=691 (2016-02-18)
    Open archived version from archive