archive-br.com » BR » C » COLGATE.COM.BR

Total: 949

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Deficiências de desenvolvimento e saúde bucal
    milhões de americanos com deficiência grave A maioria destes indivíduos recebem tratamento odontológico em hospitais estabelecimentos públicos e lares para idosos mas no mercado de hoje podem também procurar a ajuda de cirugiões dentistas particulares Ao prestar assistência odontológica às pessoas com deficiências de desenvolvimento o dentista deve comunicar se de maneira efetiva tanto com os pacientes como com as pessoas que cuidam deles Deve também estar ciente das limitações causadas pela doença saber como tratar esses pacientes e procurar tornar o tratamento uma experiência positiva para eles A legislação define como deficiente a pessoa portadora de deficiência física ou mental que limita uma ou mais atividades fundamentais pessoa com histórico de deficiência pessoa considerada como portadora de deficiência Essas deficiências são causadas por problemas ocorridos durante os estágios de desenvolvimento que vão desde o nascimento aos 18 anos Esses problemas podem ocorrer antes durante ou após o nascimento e podem compreender anomalias cromossômicas paralisia cerebral autismo e epilepsia As deficiências adquiridas provêm de problemas ocorridos após os estágios de desenvolvimento como por exemplo traumatismo craniano lesão espinhal esclerose múltipla e artrite O consultório É importante compreender as implicações da deficiência e em seguida discuti la com o dentista com o objetivo de identificar o que precisa ser feito desde a chegada do paciente ao consultório Deve se avaliar o tratamento para saber se trata se de uma consulta para exame clínico profilaxia restaurações ou extração e se o procedimento pode ser feito no consultório ou terá que ser feito em hospital Os procedimentos devem ser discutidas com o paciente bem como com a pessoa que cuida dele para instrui los sobre as formas corretas de em casa limpar e remover a placa bacteriana e resíduos alimentares Os dentes devem ser escovados duas vezes ao dia com um creme dental

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/developmental-disabilities/article/oral-care-for-patients-with-disabilities (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • Boa higiene dental pode ajudar a prevenir infecção cardíaca
    procedimento odontológico ver ADA org para mais informações sobre pacientes com risco de endocardite infecciosa Pesquisadores estudaram 290 pacientes odontológicos para ver se as bactérias entravam em suas correntes sanguíneas quando escovavam os dentes quando tinham um dente extraído após tomarem antibióticos preventivos e quando tinham um dente extraído após tomarem um placebo Cientistas coletaram sangue de cada paciente seis vezes incluindo antes durante e após a escovação ou extrações e analisaram amostras na pesquisa de bactérias relacionadas à endocardite infecciosa condição chamada de bacteremia Cientistas encontraram bacteremia com mais frequência nos grupos que tiveram extrações mas a escovação também resultou em bactérias entrando na corrente sanguínea o que sugere que atividades de rotina como escovar os dentes ou mesmo mascar chicletes poderiam resultar na entrada de bactérias na corrente sanguínea centenas de vezes por ano Embora a probabilidade de bacteremia seja mais baixa com a escovação essas atividades diárias de rotina provavelmente imponham um risco maior de EI simplesmente pela frequência ou seja bacteremia causada pela escovação duas vezes ao dia durante 365 dias por ano versus uma ou duas consultas odontológicas anuais envolvendo limpeza restaurações e outros procedimentos diz Dr Peter Lockhart um dos autores do estudo Para pessoas que não correm risco de infecções como a EI a bacteremia de curta duração não é motivo para preocupação O estudo mostrou que 23 das amostras do grupo de escovação dental tinham bactérias relacionadas à EI assim como 33 do grupo de extração com antibióticos e 60 do grupo de extração com placebo A incidência mais alta ocorreu dentro dos cinco primeiros minutos dos procedimentos Pacientes que não têm boa higiene bucal apresentam mais doença bucal como doença gengival e cárie acrescenta Dr Lockhart Isso leva a infecções crônicas e agudas como os abscessos É esse tipo de coisa

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/heart-disease/article/ada-03-good-dental-hygiene-may-help-prevent-heart-infection (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • Infecções Bucais e Doença Cardíaca
    e Doença Cardíaca Novas pesquisas sugerem que embora as infecções bucais possam ter participação na doença cardíaca o papel desempenhado não é bem conhecido Um novo estudo conduzido por pesquisadores na Faculdade de Odontologia Henry M Goldman na Universidade de Boston contesta a noção de que todos os anticorpos trabalham da mesma maneira Pesquisas sugeriram anteriormente que as infecções bucais poderiam funcionar como um gatilho no sistema imune causando inflamação em outras partes do corpo e contribuindo para a doença cardíaca Porém Dra Sok Ja Janket da Universidade de Boston afirma que dois anticorpos salivares estão associados com doença cardíaca de maneiras diferentes Nossos resultados sugerem indiretamente que a infecção bucal pode ter um papel na iniciação da doença cardíaca mas temos que dirigir a atenção ao anticorpo correto afirma Dra Janket Nem todos os anticorpos representam o mesmo caminho Dra Janket determinou que o anticorpo sIgA está positivamente associado com o risco de doença cardíaca e conforme a infecção bucal piorou o anticorpo indicou uma chance maior de doença cardíaca O segundo anticorpo IgG sugeriu proteção contra doença cardíaca IgG é a imunoproteína ativa mais potente presente na saliva e trabalha para inibir os organismos que causam gengivite de acordo com a American Dental Association A ADA recomenda consultas regulares ao dentista porque algumas doenças ou condições médicas podem exibir sintomas na boca Dra Janket ainda espera determinar se existe uma relação causal entre cada anticorpo e a probabilidade de desenvolvimento de doença cardíaca Seu estudo não foi projetado para determinar causa mas a Dra Janket espera que pesquisas futuras patrocinadas pela American Heart Association encontrem a resposta O estudo foi publicado na edição de abril do Journal of Dental Research Associação Dental Americana Todos os direitos reservados Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/heart-disease/article/ada-04-oral-infections-and-heart-disease (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • Doença periodontal e síndrome coronariana aguda
    gengivas podem explicar a aparente relação entre doença periodontal e síndrome coronariana aguda SCA segundo um estudo publicado recentemente no Journal of Periodontology Pesquisadores da Suécia Suíça e dos Estados Unidos avaliaram 161 sujeitos diagnosticados com SCA e um grupo controle de 161 sujeitos que não tinham SCA Eles estudaram a contagem de células sangüíneas brancas do soro desses sujeitos os níveis de lipoproteínas de alta e de baixa densidade os níveis de proteína C reativa de alta sensibilidade e a saúde clínica periodontal Examinaram também os patógenos subgengivais que ficam abaixo da linha da gengiva desses sujeitos Os pesquisadores verificaram que a quantidade de bactérias orais era duas vezes maior no grupo SCA considerando se a combinação das espécies bacterianas Porphyromonas gingivalis Tannerella forsythensis e Treponema denticola Especificamente os achados sugerem que as bactérias compartilhavam uma relação comum com a periodontite e a SCA Essa pode ser uma das várias explicações para o motivo pelo qual o número aumentado de bactérias e a combinação de patógenos específicos nas bolsas periodontais podem estar relacionados com a história de SCA diz Dr Stefan Renvert do Departamento de Ciências da Saúde da Kristianstad University Suécia principal autor do estudo Verificamos também que a quantidade de bactérias periodontais resulta numa resposta inflamatória que eleva as contagens de células sangüíneas brancas e os níveis de proteína C reativa de alta sensibilidade o que também foi relacionado à doença cardíaca em estudos anteriores Os pesquisadores também constataram que a extensão da perda óssea na mandíbula maxila era significativamente maior entre sujeitos do grupo SCA Setenta e sete por cento dos sujeitos do grupo SCA e 42 dos sujeitos do grupo de controle apresentaram evidência de periodontite A extensão de perda óssea foi mais severa no grupo SCA do que no grupo controle Associação Dental Americana

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/heart-disease/article/ada-09-acute-coronary-syndrome (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • Pesquisadores identificam genes que permitem a infecção de artérias por bactérias bucais
    bucal envolvido na doença periodontal que permitem que a bactéria invada e infecte células arteriais humanas de acordo com pesquisa apresentada no encontro anual da Sociedade Americana de Microbiologia Com base em pesquisas anteriores que indicavam que a bactéria Porphyromonas gingivalis que está intimamente associada à doença periodontal poderia invadir e sobreviver dentro de células arteriais humanas a equipe da Flórida identificou e estudou quatro genes específicos do P gingivalis para determinar seu papel na interação com as células arteriais Afora o estilo de vida e os fatores genéticos existem evidências crescentes de que as infecções bacterianas possam ter participação na doença cardíaca disse o autor do estudo Paulo Rodrigues um associado de pós doutorado do departamento de Biologia Oral da Faculdade de Odontologia da UF A P gingivalis uma bactéria importante que pode vir a causar doença gengival está relacionado também com a doença cardiovascular A equipe da Flórida criou quatro cepas alteradas de P gingivalis cada uma com mutação num gene diferente para incapacitá la Comparando a capacidade da bactéria modificada de invadir e sobreviver dentro de células arteriais com aquela da cepa de P gingivalis sem mutação os pesquisadores foram capazes de identificar e estudar o papel específico desempenhado por cada gene Nosso estudo mostrou que as quatro cepas com mutação apresentavam deficiência na invasão das células arteriais e que a sua capacidade de sobreviver dentro das células estava diminuída disse o dr Rodrigues Esses resultados mostram que esses quatro genes desempenham um papel na invasão e na sobrevivência da P gingivalis dentro das células arteriais Saber como essa bactéria patogênica interage com as células arteriais é importante e pode levar ao desenvolvimento de terapêuticas e de instrumentos de diagnóstico para a detecção e possivelmente para a prevenção das doenças cardíacas causadas por essa associação acrescentou Associação

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/heart-disease/article/ada-05-oral-bacteria (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • Medicamento para azia pode ser eficaz contra doença periodontal
    bactérias que provocam doença periodontal teorizam os pesquisadores Cientistas do Centro Médico da Universidade de Rochester em Nova York e da Universidade de Gotemburgo na Suécia estudaram a substância química lansoprazole um componente de medicamentos que combate bactérias em pacientes com azia doença de refluxo ácido e úlceras estomacais Eles perceberam que essa substância era também uma arma eficaz contra bactérias encontradas na placa dentária e na doença periodontal A doença periodontal é uma infecção dos tecidos que sustentam os dentes As doenças periodontais são classificadas de acordo com a gravidade da doença sendo os dois estágios mais importantes a gengivite e a periodontite Gengivite é uma forma mais branda e reversível da doença periodontal que afeta apenas as gengivas A gengivite pode levar a formas mais graves e destrutivas de doença periodontal chamadas de periodontite A dieta americana e o consumo constante de açúcar deixa pouco tempo para o reparo natural dos dentes disse Robert Marquis Ph D do Centro Médico da Universidade de Rochester autor principal do estudo Durante todo o dia há um ciclo de erosão ácida e reparo ou pelo menos deveria haver mas o hábito de constantemente chupar balas e tomar refrigerantes com alto teor de frutose deixa pouco tempo para o reparo O lansoprazole em um meio bucal ácido inativa as bactérias bucais e evita que elas produzam toxinas ou sirvam como local de instalação e crescimento de mais bactérias disse ele Os pesquisadores teorizam que essa substância química possa um dia constituir um aditivo importante para cremes dentais e enxaguantes bucais para ajudar a proteger da gengivite Associação Dental Americana Todos os direitos reservados Probida qualquer reprodução ou redistribuição sem permissão prévia por escrito da Associação Dental Americana Conteúdos Relacionados Doença Periodontal 99 Refluxo Ácido 3 Bactéria 25 Placa 21 Artigos ADA 257

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/gastrointestinal-disorders/article/ada-11-heartburn-med (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • Estudo sugere ligação entre ausência de dentes e doença renal crônica
    têm dentes podem ser mais propensos a sofrer de doença renal crônica do que aqueles que ainda os têm de acordo com um estudo publicado recentemente no Journal of Periodontology O estudo conduzido na Case Western Reserve University examinou a função renal e os indicadores de saúde periodontal em 4 053 adultos norte americanos com 40 ou mais anos de idade Após o ajuste dos fatores de risco para doença renal crônica como idade etnia e uso de tabaco o estudo mostrou que os participantes que tinham perdido todos os dentes eram mais propensos a ter doença renal crônica do que os pacientes que haviam conservado os dentes naturais Um em cada nove norte americanos sofre de doença renal crônica de acordo com a National Kidney Fondation A doença pode afetar a pressão sanguínea e a saúde dos ossos e acabar levando à doença cardíaca ou insuficiência renal De acordo com este estudo universitário a natureza destrutiva da inflamação crônica pode desempenhar um papel importante na prevalência mais alta da doença renal crônica entre pacientes desdentados A doença periodontal que frequentemente pode causar a perda de dentes se não for tratada é uma condição inflamatória e pesquisas anteriores sugerem que a inflamação pode ser uma ligação comum entre doença periodontal e doença renal A razão para examinar adultos desdentados neste estudo foi observar os efeitos de longo prazo da ação das doenças periodontais na presença de doenças renais crônicas dizem os autores Dra Mônica Fisher e seus colaboradores neste estudo As doenças periodontais são causas importantes de perdas dentárias em adultos portanto a ausência de dentes é considerada como um marcador de doença periodontal pregressa nos participantes do estudo Os autores do estudo observam que são necessárias pesquisas adicionais para entender completamente o porquê de a perda dental estar associada

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/kidney-disease/article/ada-10-study-suggests-link-between-toothlessness-and-kidney (2015-12-27)
    Open archived version from archive

  • A coriza nasal afeta a saúde bucal?
    Centro de Cuidado Bucal www colgate com br Menu Colgate com br Centro de Cuidado Bucal Problemas Comuns Problemas Respiratórios A coriza nasal afeta a saúde bucal por Angela Tague por Angela Tague A estação da coriza nasal de sinusite dos resfriados e da tosse chegou Além de a pessoa não se sentir bem aquele acúmulo de muco e a coceira no fundo da garganta podem causar problemas dentais ou bucais inesperados O mito do mau hálito O excesso de muco nas vias respiratórias e a tosse não causam mau hálito entretanto algumas de suas causas como um resfriado ou uma infecção podem causar Por que precisamos de muco A tosse não é algo preocupante A produção de muco transparente e inodoro é um processo natural para manter a garganta úmida e sadia Se o corpo produzir muco em excesso a pessoa vai precisar limpar a garganta ou tossir Se essa produção exagerada de muco se tornar persistente poderá indicar algum problemas e deverá ser avaliada pelo médico Reduzindo a coriza nasal Com a orientação de um médico você pode reduzir significativamente o desconforto da coriza nasal Dormir com a cabeça levemente elevada para promover a drenagem Perder peso se necessário Evitar alimentos e bebidas antes de ir para a cama Nos esforços para reduzir a produção de muco é útil também limitar o consumo de laticínios Em vez de dar um copo de leite à criança troque o por suco ou água temporariamente para ver se os sintomas diminuem Embora a ingestão de sorvetes ou cremes seja agradável para uma garganta irritada esses produtos à base de leite podem estimular a produção de muco em excesso Em geral o a coriza nasal não exerce efeitos negativos sobre a saúde bucal entretanto sempre é bom procurar um médico para um

    Original URL path: http://www.colgate.com.br/pt/br/oc/oral-health/conditions/respiratory-conditions/article/sw-281474979247047 (2015-12-27)
    Open archived version from archive