www.archive-br.com » BR » D » DRAUZIOVARELLA.COM.BR

Total: 161

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Espondilite anquilosante | Dr. Drauzio Varella
    dor lombar que persiste por mais de três meses abranda com o movimento e aumenta com o repouso Essa dor pode irradiar se para as pernas e estar associada a uma rigidez da coluna mais acentuada no começo do dia Tais sintomas podem desaparecer espontaneamente são intermitentes e recidivar depois de algum tempo Outros sintomas são o comprometimento progressivo da mobilidade da coluna que vai enrijecendo anquilose da expansão dos pulmões e aumento da curvatura da coluna na região dorsal Com a evolução da doença a tendência é a dor tornar se mais intensa especialmente à noite Tratamento O objetivo do tratamento para controle da espondilite anquilosante é aliviar os sintomas dolorosos e reduzir o risco de deformidades Para tanto pode se recorrer ao uso de medicamentos à fisioterapia e à cirurgia se for necessário substituir a articulação do quadril Entre os medicamentos indicados merecem destaque os antiinflamatórios não esteroidais os analgésicos e os relaxantes musculares A sulfasalazina tem se mostrado eficaz para retardar a evolução da doença O acompanhamento fisioterápico é fundamental para o portador da enfermidade manter um programa de exercícios posturais e respiratórios a fim de fortalecer os músculos e favorecer a mobilidade das juntas Recomendações Não
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/espondilite-anquilosante/ (2012-11-14)

  • Esquistossomose | Dr. Drauzio Varella
    em sua pele ou mucosas A esquistossomose chegou às Américas Central e do Sul provavelmente com os escravos africanos e ainda hoje atinge vários estados brasileiros principalmente os do Nordeste Sintomas A doença tem uma fase aguda e outra crônica Na fase aguda pode apresentar manifestações clínicas como coceiras e dermatites febre inapetência tosse diarreia enjôos vômitos e emagrecimento Na fase crônica geralmente assintomática episódios de diarreia podem alternar se com períodos de obstipação prisão de ventre e a doença pode evoluir para um quadro mais grave com aumento do fígado hepatomegalia e cirrose aumento do baço esplenomegalia hemorragias provocadas por rompimento de veias do esôfago e ascite ou barriga d água isto é o abdômen fica dilatado e proeminente porque escapa plasma do sangue Tratamento O tratamento da doença pode ser feito com medicamentos específicos que combatam o Schistossoma mansoni Uma nova droga quimioterápica o hicantone já se mostrou eficaz para curar a doença na grande maioria dos casos No entanto educação sanitária saneamento básico controle dos caramujos e informação sobre o modo de transmissão da doença são medidas absolutamente fundamentais para prevenir a doença Recomendações Esteja atento às normas básicas de higiene e saneamento ambiental Evite contato com a água represada ou de enxurrada que pode estar infestada pelo parasita Saiba que os caramujos podem ser combatidos de várias maneiras diferentes por controle biológico químico e das condições do meio ambiente Como seu habitat natural preferido são lugares com pouca água e correnteza algumas medidas podem ser tomadas como drenar aterrar ou aumentar a velocidade da água na área em que vivem O controle biológico pode ser exercido por animais que se alimentam dos caramujos peixes patos etc e o químico pelo uso de moluscocidas Use roupas adequadas botas e luvas de borracha se tiver que entrar em
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/esquistossomose/ (2012-11-14)

  • Febre amarela | Dr. Drauzio Varella
    vômito e diarréia aparecem em geral de três a seis dias após a picada período de incubação Aproximadamente metade dos casos da doença evolui bem Os outros 15 podem apresentar além dos já citados sintomas graves como icterícia hemorragias comprometimento dos rins anúria fígado hepatite e coma hepático pulmão e problemas cardíacos que podem levar à morte Uma vez recuperado o paciente não apresenta seqüelas Diagnóstico Como os sintomas da febre amarela são muito parecidos com os da dengue e da malária o diagnóstico preciso é indispensável e deve ser confirmado por exames laboratoriais específicos a fim de evitar o risco de epidemia em áreas urbanas onde o vírus pode ser transmitido pelo mosquito da dengue Tratamento Doente com febre amarela precisa de suporte hospitalar para evitar que o quadro evolua com maior gravidade Não existem medicamentos específicos para combater a doença Basicamente o tratamento consiste em hidratação e uso de antitérmicos que não contenham ácido acetilsalicílico Casos mais graves podem requerer diálise e transfusão de sangue Vacinação Existe vacina eficaz contra a febre amarela que deve ser renovada a cada dez anos Nas áreas de risco a vacinação deve ser feita a partir dos seis meses de vida De maneira geral a partir dos nove meses a vacina deveria ser recomendada para as demais pessoas uma vez que existe a possibilidade de novos surtos da doença caso uma pessoa infectada pela febre amarela silvestre retorne para regiões mais povoadas onde exista o mosquito Aedes aegypti A vacinação é recomendada especialmente aos viajantes que se dirigem para localidades como zonas de florestas e cerrados e deve ser tomada dez dias antes da viagem para que o organismo possa produzir os anticorpos necessários Recomendações Vacine se contra febre amarela pelo menos dez dias antes de viajar para áreas de risco e
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/febre-amarela/ (2012-11-14)

  • Febre reumática | Dr. Drauzio Varella
    Sopro cardíaco quando há comprometimento das válvulas do coração Inflamação no músculo do coração cardite Movimentos descoordenados dos membros coreia em consequência de inflamação no cérebro Manchas avermelhadas na pele eritema marginado Nódulos subcutâneos Febre baixa 37 5º C Prostração Inapetência Falta de ar Diagnóstico Exames de sangue de cultura de material da orofaringe e a pesquisa de anticorpos para identificar a presença do estreptococo são úteis para confirmar o diagnóstico com base na avaliação clínica Na hipótese de comprometimento das válvulas do coração eletrocardiograma ecocardiograma e raios x de tórax são exames recomendados Prevenção e tratamento A febre reumática é uma complicação decorrente de faringites e amidalites mal curadas A maneira mais eficaz de prevenir a doença é combater o estreptococo do grupo A com antibióticos específicos sempre sob a orientação de um médico Uma vez instalada a enfermidade o tratamento inclui repouso absoluto no leito e o uso da penicilina benzatina ou da eritromicina para os pacientes alérgicos à penicilina de anti inflamatórios e de analgésicos Quando há comprometimento cardíaco a intervenção terapêutica precisa ser mais agressiva Recomendações Observe a dosagem da medicação prescrita pelo médico nas infecções de garganta pelo estreptococo Suspender os remédios antes do prazo
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/febre-reumatica/ (2012-11-14)

  • Febre tifoide | Dr. Drauzio Varella
    controle da doença O período de incubação varia entre oito e 14 dias Os sintomas começam leves vão crescendo de intensidade nas três primeiras semanas depois do contágio e só começam a regredir na quarta semana Os mais característicos são febre prolongada alterações intestinais que vão da constipação à diarreia com sangue cefaleia dor de cabeça falta de apetite mal estar prostração aumento do fígado e baço distensão e dores abdominais náuseas e vômitos Em alguns casos aparecem manchas rosadas no tórax e abdômen conhecidas por roseola tífica Sem tratamento esses sintomas se agravam e podem surgir complicações graves como hemorragias abdominais e perfuração do intestino com risco de o quadro evoluir para septicemia coma e morte Diagnóstico O diagnóstico leva em conta a avaliação clinica do paciente e o isolamento da bactéria por meio de exames laboratoriais de hemocultura coprocultura mielocultura e pela reação sorológica de Widal Esse isolamento é fundamental para estabelecer o diagnóstico diferencial com outras patologias intestinais que apresentam sintomas semelhantes Vacinação Duas preparações de vacinas são recomendadas na prevenção da febre tifoide 1 a que contém uma forma atenuada dos germes vivos Ty21 administrada por via oral em quatro doses em dias alternados 2 a parenteral de polissacarídeos Vi CPS administrada em dose única por via intramuscular O problema é que nenhuma delas oferece imunização completa nem está indicada nas situações de risco de epidemias Tratamento O tratamento da febre tifoide inclui a administração de antibióticos clorafenicol ampicilina e quinolonas entre outros e a reidratação do paciente e deve começar tão logo seja levantada a possibilidade da infecção Repouso dieta leve e sem resíduos ingestão maior de líquidos são medidas de suporte importantes durante a vigência da infecção e no período de convalescença que pode ser longo Nos dois extremos da vida infância e velhice
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/febre-tifoide/ (2012-11-14)

  • Flatulência | Dr. Drauzio Varella
    gases No entanto a maioria das queixas parte de pessoas que produzem uma quantidade que os gastrenterologistas considerariam normal Estudos demonstram que em média um adulto pode expelir gases vinte vezes por dia De qualquer modo há como prevenir a maior formação de gases Recomendações Dieta é a palavra chave para reduzir a produção de gases uma vez que é impossível eliminá la totalmente Leguminosas como feijão ervilhas lentilhas e soja entre outras são causadoras de gases Ricas em carboidratos não absorvíveis as leguminosas tendem a fermentar no intestino Eliminá las totalmente da dieta pode não representar uma boa solução porque constituem uma fonte importante de proteínas fibras e outros nutrientes Uma dica prática e com bons resultados por exemplo é deixar o feijão de molho durante a noite No dia seguinte a água deve ser trocada por outra antes de cozinhá lo bem pois amido mal cozido aumenta a produção de gases Intolerância à lactose é outra causa importante de flatulência Algumas pessoas notam aumento na produção de gases quando ingerem comida ou sucos adoçados com açúcar de frutas frutose ou adoçante artificial à base de Sorbitol Nesse caso esses produtos devem ser evitados Reserve um tempo tranquilo para as refeições Mastigue bem os alimentos Engolir a comida sem mastigá la direito e às pressas atrapalha a digestão e o bolo alimentar pode chegar ao intestino sem estar digerido adequadamente Procure não falar muito durante as refeições para diminuir o volume de ar deglutido Prefira alimentos ricos em fibras e beba bastante líquido pois isso facilita o trânsito intestinal A obstipação retarda a passagem da comida pela parte inferior do aparelho digestivo provocando maior fermentação dos alimentos e conseqüentemente maior produção de gases Preste atenção no seu caso específico aos alimentos que podem estar associados a gases Algumas pessoas
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/flatulencia/ (2012-11-14)

  • Furúnculo | Dr. Drauzio Varella
    se dissemina pela corrente sanguinea e pode atingir órgãos como ossos e coração c quando a bactéria presente no pus eliminado atinge folículos pilossebáceos à distância e provoca o aparecimento de múltiplas lesões típicas da furunculose d quando a contaminação ocorre sob a pele e os abscessos se desenvolvem em folículos pilosos vizinhos formando um bloco único e profundo com vários pontos de pus Esse tipo de lesão localiza se geralmente na nuca e recebe o nome especial de carbúnculo Sintomas Formação de um abscesso folicular avermelhado endurecido com sinais de pus na parte central e dor são os principais sintomas A dor desaparece quando a pele que recobre o nódulo rompe espontânea ou cirurgicamente e são eliminados o pus e o tecido necrosado popularmente conhecido como carnegão Findo o processo de cicatrização uma mancha escura aparece no local da infecção Quanto aos carbúnculos além de muito dolorosos deixam cicatrizes extensas por causa da necrose dos tecidos no local da infecção Fatores de risco Portadores de diabetes mellitus HIV positivos usuários de drogas injetáveis obesos e pessoas com baixa imunidade constituem a população de maior risco Diagnóstico O diagnóstico baseia se no exame dermatológico clínico Embora o Staphylococcus aureus seja na maior parte dos casos o agente causal da infecção algumas vezes pode ser necessário recorrer a exames laboratoriais de cultura para estabelecer o diagnóstico diferencial da doença Tratamento Nunca se deve espremer um furúnculo Na maioria dos casos ele se rompe espontaneamente e não há necessidade de drenagem cirúrgica A aplicação de calor úmido no local acelera o processo de drenagem espontânea Há casos porém em que se torna necessária a administração de antibióticos de uso tópico ou por via oral No entanto eles só devem ser utilizados sob orientação médica para evitar que a bactéria desenvolva resistência a
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/furunculo/ (2012-11-14)

  • Gagueira | Dr. Drauzio Varella
    de fazê lo na rotina do dia a dia ler um texto em voz alta ou pedir pão na padaria Causas A gagueira é um distúrbio multifatorial Pode ter origem genética orgânica psicológica e ou social Sintomas Repetição ou prolongamento de sons e sílabas Bloqueio de sons Uso de interjeições para fazer a conexão entre as palavras Simplificação de frases Movimentos corporais para ajudar a liberar os sons ou silabas bloqueados Tratamento Os tratamentos fonoaudiológicos procuram enfocar a aprendizagem motora de técnicas a serem usadas durante a fala os tratamentos psicológicos tendem a enfocar os aspectos emocionais que interferem na fala da pessoa que gagueja Eles são considerados tratamentos complementares e sua eficácia depende da base teórica que os fundamenta do profissional que os aplica e também da pessoa que gagueja Recomendações Não se acanhe nem deixe de expressar o que pensa ou o que sente se você gagueja Procure valer se dos artifícios que ajudam a diminuir os sintomas da gagueira Use interjeições substitua as palavras que de antemão sabe que tem dificuldade para pronunciar por outra equivalente construa frases menos elaboradas Leve a sério o tratamento Não deixe de comparecer às sessões de fonoaudiologia nem às que visam
    http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/gagueira/ (2012-11-14)