archive-br.com » BR » M » MERCHANT.COM.BR

Total: 441

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE O resultado obtido no ano passado é o mais baixo desde 2003 quando foi registrada uma queda de 3 7 no volume de vendas dos comerciantes no varejo Apesar do crescimento anual as vendas dos comerciantes em volume registraram em dezembro uma redução de 0 2 frente a novembro o que representa a primeira queda após nove meses consecutivos em alta Em comparação com dezembro de 2012 as vendas cresceram 4 Dos dez setores analisados pelo organismo o que mais contribuiu para o aumento do volume de vendas foi o de artigos de uso pessoal e doméstico com uma expansão de 10 3 frente a 2012 O setor de alimentos supermercados e bebidas o segundo com maior influência na taxa geral de comércio no varejo teve um crescimento de 1 9 em 2013 em relação a 2012 quando registrou um aumento de 8 5 frente ao ano anterior De acordo com o IBGE o crescimento menor do setor pode ser explicado pela desaceleração do ritmo de crescimento da massa real do salário com uma taxa de variação de 2 9 em 2013 contra 6 5 em 2012 As vendas de artigos farmacêuticos médicos ortopédicos

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5964 (2015-10-13)
    Open archived version from archive


  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    Serasa Experian O consumidor começou o ano dando mais calotes no mercado A inadimplência do consumidor avançou 1 1 em janeiro em relação a dezembro Esta foi a quarta alta mensal consecutiva segundo o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor Na variação anual janeiro de 2014 contra o mesmo mês de 2013 o indicador caiu 4 o oitavo recuo seguido neste tipo de comparação Pela comparação interanual segundo os economistas da Serasa Experian é possível verificar que a inadimplência se enfraquece Isto sinaliza que a trajetória de declínio da inadimplência do consumidor pode estar se encaminhando para uma conjuntura de estabilidade Aumentos sucessivos das taxas de juros crescimento mais fraco da economia inflação próxima ao teto da meta e diminuição do ritmo de geração de vagas de emprego contribuem para desacelerar a curva da inadimplência do consumidor Em janeiro caiu 6 1 o valor médio das dívidas nos bancos Os títulos protestados também apresentaram declínio Já os cheques sem fundos e as dívidas não bancárias registraram alta de 3 2 e 4 2 As dívidas não bancárias não foram as que mais subiram mas foram as principais responsáveis pela alta do indicador em janeiro de 2014 A variação de

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5963 (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    Nacional de Energia Elétrica Aneel que colocou nesta terça feira 11 os valores em audiência pública Em maio do ano passado foi publicado decreto que assegurava desconto médio de 20 nas contas de luz aos consumidores do Brasil Portanto caso o reajuste de 4 6 seja de fato realizado o corte das tarifas de energia uma das principais bandeiras do atual governo será comprometido A proposta da Aneel prevê um orçamento de R 17 9 bilhões em despesas para a Conta de Desenvolvimento Energético CDE fundo setorial responsável pelo pagamento de vários gastos Alguns deles são a tarifa social paga pelos consumidores de baixa renda o programa Luz para Todos as indenizações às empresas que aceitaram renovar suas concessões antecipadamente e o combustível utilizado por usinas térmicas na Região Norte do País entre outros As receitas previstas para a CDE pela Aneel chegam a R 12 3 bilhões em multas cotas e o pagamento pelas empresas de financiamentos obtidos com fundos setoriais A maior projeção de entrada de recursos porém vem do Tesouro Nacional que destinou R 9 bilhões no orçamento para a CDE Com a previsão de receitas e despesas da Aneel faltariam R 5 6 bilhões para bancar todas as despesas da CDE Essa diferença propõe o órgão regulador seria paga em 12 parcelas mensais pelas distribuidoras e permissionárias de energia elétrica que atendem diretamente o consumidor O repasse dessa conta teria um impacto de 4 6 nas tarifas sem incluir todas as outras despesas que as distribuidoras têm direito a repassar para conta do consumidor A Aneel não prevê por exemplo que o consumidor comece a pagar neste ano por meio da tarifa as despesas com a compra de energia no mercado de curto prazo e com as usinas térmicas no ano passado Essa conta que resultou

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5962 (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    acumulado do indicador nos últimos 12 meses apresentou queda de 0 9 O valor médio das dívidas incluídas neste último mês foi de R 1 276 após a realização de ajustes de sazonalidade e inflação O comportamento da inadimplência ainda reflete a continuidade de fatores favoráveis como aumento dos rendimentos reais e baixo desemprego Em 2013 houve um ajuste do mercado de crédito tornando o mais saudável com credores mais seletivos por um lado e consumidores mais cautelosos em relação ao uso do crédito por outro Regiões Em janeiro de 2014 os indicadores das regiões Sul e Centro Oeste foram os únicos que caíram respectivamente 5 3 e 0 7 apurados os efeitos sazonais Na contramão deste movimento as demais regiões apresentaram aumento da inadimplência Norte 4 8 Nordeste 1 8 e Sudeste 0 5 Ao confrontar o resultado acumulado nos últimos 12 meses ao período correspondente do ano anterior a região Sudeste ainda continua sendo a única a apresentar retração 4 0 trazendo o indicador geral para baixo As elevações mais relevantes ocorreram no Nordeste 6 4 e no Norte 4 1 desacelerando com relação ao mês anterior quando apresentaram altas de 7 3 e 5 0 respectivamente Varejo

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5961 (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    Lojistas CNDL com base na quantidade de dívidas em atraso há mais de 90 dias no banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito o SPC Brasil Segundo o presidente da CNDL Roque Pelizzaro Junior o mês é historicamente caracterizado pela alta inadimplência Em janeiro do ano passado a variação anual da inadimplência havia sido de 11 8 No mesmo mês de 2012 ela havia crescido 12 31 O consumidor deixa de pagar muitas contas por causa do período de férias e por conta dos vários gastos que teve no final de dezembro afirmou Pelizzaro Junior em comunicado Em relação a dezembro houve diminuição de 2 28 na inadimplência entre os consumidores brasileiros na menor taxa registrada desde fevereiro de 2013 Para Pelizzaro Junior a perspectiva para o ano é de arrocho na oferta de empréstimos diante da elevação da taxa básica de juros maior seletividade por parte dos bancos e menor confiança dos comerciantes varejistas Com isso avalia o presidente da CNDL a inadimplência em 2014 deve continuar estável mas em níveis historicamente baixos Em janeiro o número de consultas ao banco do SPC para vendas a prazo subiu 5 07 sobre igual mês de 2013 num resultado

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5955 (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    cerca de 6 milhões de pessoas segundo o ONS O operador explicou que para evitar que o apagão atingisse uma fatia maior da população as distribuidoras tiveram de fazer cortes selecionados de cargas menos essenciais Mesmo assim a queda interrompeu o fluxo de 5 mil megawatts MW de energia vinda da Hidrelétrica de Tucuruí o que representa cerca de 8 da carga do País Até o início da noite de ontem o presidente do ONS Hermes Chipp ainda não sabia informar os motivos do apagão Chipp que vai se reunir amanhã com a Agência Nacional de Energia Elétrica Aneel e Ministério de Minas e Energia descartou a possibilidade de o desligamento ter sido provocado por sobrecarga na transmissão Segundo ele a linha transportava 4 8 mil MW enquanto o limite era de 5 1 mil MW Mas a explicação não convenceu especialistas e executivos do setor que viram o apagão como sinal de alerta no sistema Não bastasse o baixo nível dos reservatórios provocado pelo pior janeiro dos últimos 60 anos a demanda de energia especialmente no Sudeste tem batido recordes consecutivos desde o mês passado Nos últimos dias coincidentemente os horários de maior demanda ocorreram entre 14h30 e 15h30 Antes o pico de consumo ocorria por volta de 18 horas Mas com as altas temperaturas o horário foi deslocado para o início da tarde Ontem a temperatura no Rio de Janeiro por exemplo alcançou 40 8 ºC Junta se a isso o aquecimento das linhas de transmissão algumas antigas e frágeis com o calor excessivo Tudo isso ajudaria a derrubar o sistema numa interligação grande como a Colinas Serra da Mesa afirma um executivo Outra possibilidade levantada por especialistas é que com os reservatórios em baixa o ONS passa a otimizar mais a operação do sistema e eleva o

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5954 (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    2008 12 2 Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física PIM PF e vieram bem abaixo da expectativa dos analistas Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE no acumulado no ano de 2013 a atividade industrial cresceu 1 2 frente a igual período do ano anterior Em 2012 a produção havia caído 2 5 e em 2011 tinha apresentado ligeira variação positiva de 0 4 O IBGE informou que o setor industrial teve expansão no ano passado devido sobretudo ao crescimento de 2 1 registrado no primeiro semestre do ano O segundo semestre registrou alta de apenas 0 3 A queda de 3 5 em dezembro surpreendeu negativamente os analistas ouvidos pela Agência Estado que previam recuo entre 0 80 e 2 50 Em relação a dezembro de 2012 a produção recuou 2 3 Nesta comparação as estimativas variavam de queda de 1 90 a crescimento de 1 60 Já no acumulado de 2013 que ficou em 1 2 as previsões variavam de alta de 1 30 a avanço de 1 63 Férias coletivas Para o IBGE as paralisações de linhas de produção para férias coletivas puxaram o resultado negativo da indústria em dezembro Na atual pesquisa 1 300 empresas justificaram uma redução na produção em dezembro com férias coletivas contra 1 100 no mesmo mês de 2012 Em novembro de 2013 250 empresas tinham atribuído o recuo a esse mesmo fator Para efeito de comparação em dezembro de 2010 apenas 500 empresas deram como justificativa a concessão de férias coletivas para a redução na produção afirmou André Macedo gerente da Coordenação de Indústria do IBGE No caso de veículos automotores cuja queda de 17 5 em dezembro ante novembro foi a mais impactada pelas paralisações há excesso de estoque Claro que essas paralisações não

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5953 (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Merchant Cobranças, Recuperação de créditos e recuperação judicial, São Paulo, Brasil
    expectativa para inflação no ano A projeção de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo IPCA para 2014 caiu de 6 02 para 6 00 de acordo com a pesquisa Focus divulgada nesta segunda feira 3 pelo Banco Central Há quatro semanas a estimativa estava em 5 97 Para 2015 a projeção segue em 5 70 Há quatro semanas estava em 5 50 A projeção de inflação para os próximos 12 meses subiu de 5 99 para 6 00 conforme a projeção suavizada para o IPCA Há quatro semanas estava em 6 00 Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções o chamado Top 5 da pesquisa Focus a previsão para o IPCA em 2014 no cenário de médio prazo segue em 6 20 Para 2015 a previsão dos cinco analistas continua em 6 00 Há um mês o grupo apostava em altas de 5 90 para 2014 e 5 80 para 2015 Entre todos os analistas ouvidos pelo BC a mediana das estimativas para o IPCA em janeiro de 2014 caiu de 0 75 para 0 72 Há quatro semanas estava em 0 73 Para fevereiro a projeção segue em 0 65

    Original URL path: http://www.merchant.com.br/site/index.php?_op=noticias&codigo=5952 (2015-10-13)
    Open archived version from archive