archive-br.com » BR » R » REVISTAGOOUTSIDE.COM.BR

Total: 854

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    Tags Sua busca para CAMP4 COLLECTIVE 15 05 15 Nepal I love you Vídeo da Camp 4 Collective relembra as belezas do país e fortalece a campanha para ajudar a nação após os terremotos Continuar lendo NEPALILOVEYOU CAMP4 COLLECTIVE NEPAL NEPAL SAMBHAV NEPAL Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta Publicidade Fotos Existe vida em Marte Um pedal solitário

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=CAMP4%20COLLECTIVE (2015-10-13)
    Open archived version from archive


  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    ex soldados norte americanos da guerra do Afeganistão que se desafiam pelo monte Lobuche no Nepal Continuar lendo ERIK WEIHENMAYER ESCALADA FILME HIGH GROUND MICHAEL BROWN NEPAL 22 07 11 Notícias Confusão nas alturas Nepal lança projeto de medir novamente a altura do Everest na tentativa de acabar com as confusões com a China sobre o tamanho da montanha Continuar lendo ALTURA CHINA EVEREST NEPAL 03 05 11 Notícias Cinco lugares que você deveria conhecer antes da revolução Revista americana seleciona os países mais bonitos que correm o risco de caírem no caos dos agitos políticos Continuar lendo ÁFRICA EQUADOR JORDÂNIA MARROCOS NEPAL REVOLUÇÃO VIAGEM 03 05 11 Notícias Terapia pós guerra Filme conta a história de ex combatentes de guerra para chegar ao cume de uma montanha no Nepal Continuar lendo ESCALADA NEPAL PÓS GUERRA SOLDIERS TO THE SUMMIT SUPERAÇÃO 08 09 14 Vídeos Oi Nepal Vídeo mostra as belezas desse país encravado nos Himalaias Continuar lendo JAMIN WALSH MONTANHISMO NEPAL TIME LAPSE 31 12 69 Vídeos Peso morto Os carregadores nepaleses são as pessoas que mais dão duro no universo Continuar lendo CARREGADORES MONTE TUKUCHE NEPAL 31 12 69 Notícias O oscar das alturas A galera da Eslovênia dominou o 16º Piolet d Or Continuar lendo BORIS LORENCIC CHO OYU MARKO PREZELJ MONTANHISMO NEPAL PIOLET D OR 12 03 15 Notícias Quase no Everest Google disponibiliza passeio virtual pela cordilheira mais famosa do mundo Continuar lendo EVEREST GOOGLE GOOGLE STREET VIEW KHUMBU NEPAL 19 03 15 Notícias O Himalaia visto de cima Imagens captadas por um helicóptero trazem uma perspectiva diferente da região Continuar lendo AMA DABLAM EVEREST HIMALAIA LHOTSE NEPAL 24 03 15 Viagem 30 dias no Nepal Três amigos ficaram um mês no célebre trekking do Annapurna e filmaram toda a aventura Continuar lendo ANNAPURNA CAMINHADA

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=NEPAL (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    para data 31 12 69 resultou em 0 artigos Wednesday 31 12 69 Continuar lendo Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta Publicidade Fotos Existe vida em Marte Um

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/search-date.php (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    14 Semeie esta ideia Quer melhorar seu suco Aposte nestas sementes repletas de nutrientes Continuar lendo NUTRIÇÃO SEMENTES SUCOS TREINO VITAMINAS 14 09 15 Treinamento Um suco para espantar as doenças Algumas combinações de frutas podem te auxiliar a manter sua imunidade em alta Continuar lendo NUTRIÇÃO RECEITAS SAÚDE SUCOS Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta Publicidade Fotos

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=SUCOS (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    milhares de anos no Japão de onde vem o conceito geral Mas todos eles falam do misogi com uma convicção quase religiosa Deyl o corretor ultracorredor comprou o domínio misugi org cuja homepage exibe os seguintes dizeres Aprenda sobre um conceito que mudará para sempre o modo como você encara a vida Marcus concorda Eu venho inovando a ciência esportiva há 20 anos diz ele E não há substitutos para os ensinamentos que eu adquiri no misogi Marcus é fisiologista da equipe de futebol americano New England Patriots e consultor em ciência esportiva do time de basquete Utah Jazz ambos nos EUA Em 2005 ele inaugurou o Peak Performance Project P3 em Santa Barbara com o objetivo de aplicar ciência de ponta para alcançar a performance esportiva ideal O cientista ajuda atletas de todos os níveis e de diversas modalidades Recentemente ele assinou um contrato com a NBA para avaliar os aspectos mecânicos de cada um de seus novos jogadores Esse é o primeiro grande projeto desse tipo na famosa liga norte americana Se você visitasse o P3 a equipe de Marcus passaria três horas avaliando seu corpo Usando análises de movimento em 3D os integrantes de sua equipe primeiramente te veriam em ação no seu esporte Então coletariam 5000 variáveis de dados No final saberiam que você tem por exemplo seis graus menos de mobilidade no tornozelo esquerdo do que no direito e é por isso que está sentindo dor crônica nas costas NAS PROFUNDEZAS Deyl Kearin perto da ilha de Santa Cruz na Califórnia EUA Mas Marcus não é só mais um nerd obcecado por dados sobre condicionamento físico Ele está mais para filósofo aventureiro do que para técnico E quer fazer um alerta Nossa capacidade vai muito além do que nos damos conta Em 1993 durante o segundo ano de medicina na Universidade de Harvard Marcus viajou para as montanhas Wind River no estado norte americano de Wyoming com seu melhor amigo um judoca profissional de elite Nossa relação se baseava principalmente no objetivo comum de um derrotar o outro conta Marcus Eles pegaram um avião de Boston para Wyoming dormiram em um campo perto do aeroporto e pegaram carona até o começo da trilha que ia para as montanhas Durante caminhadas diárias de 12 horas seu amigo contou sobre um conceito do judô emprestado de um antigo ritual religioso japonês lembra Marcus A ideia segundo a interpretação de seu amigo era encarar desafios que aguçassem radicalmente a percepção sobre aquilo que é possível Durante 15 anos Marcus pensou sobre o que seu amigo chamou de misogi Nós evoluímos diante do desejo de nos desafiar conta ele Antigamente era preciso que uma tribo atravessasse uma montanha durante o inverno para caçar comida Hoje nós vivemos em nossa zona de conforto Temos medo de falhar Mas que se dane Como é possível alcançar o limite do nosso potencial sem o risco de falhar Marcus aperfeiçoou gradativamente sua própria versão do misogi que requer que o desafio seja cumprido apenas uma ou duas vezes por ano Se ele for difícil o suficiente os ensinamentos vão perdurar acredita Resumindo trata se de testar habilidades em um ambiente novo conta ele Quanto menos informação sobre o desafio mais ousado e aventureiro será o esforço Não existe taxa de inscrição nem espectadores É uma busca pessoal desenvolvida por você mesmo E é difícil pra caramba Você tem na melhor hipótese 50 de chances de sucesso Independentemente do resultado a ideia é a mesma você vai acabar se dando conta de seu potencial Então afinal o que é misogi A primeira referência sobre isso foi escrita no século 8 em um dos mais antigos textos japoneses Nessa história mitológica explica Janine Sawada professora de estudos religiosos na Universidade de Brown EUA um deus chamado Izanagi vai ao inferno encontrar sua esposa Izanami Essa jornada era até então considerada um tabu para os deuses então Izanagi lava se assim que deixa o inferno para se purificar Com o passar dos séculos o misogi passou a descrever atos mais aventureiros de purificação De acordo com Janine os praticantes do ascetismo vagavam nas montanhas do Japão na era medieval desafiando a si mesmos Eles se colocavam embaixo de cachoeiras e entoavam cantos esotéricos budistas o mais alto possível durante minutos ou horas Eles faziam isso em todas as estações do ano Atualmente alguns japoneses que não são religiosos mergulham em água gelada na natureza como um ritual de culto a si próprio Os ocidentais também estão entrando na onda de modo que alguns vão para o Japão para praticar os ensinamentos da filosofia zen Janine não se surpreendeu ao saber que alguns ocidentais como Marcus que acredita que ninguém faz misogi como ele tenham adaptado um ritual antigo para algo mais atlético Que interessante diz ela Mas acredito que esse conceito moderno do misogi que você descreve seja algo inventado por vocês e não baseado em mitos antigos EM 2010 KYLE KORVER conquistou o recorde de maior percentual de cestas de três pontos em uma temporada da NBA alcançando 53 6 atrás da linha de dois pontos Algumas pessoas dizem que ele é o melhor arremessador de todos os tempos A genética desempenha seu papel também Sua mãe Laine marcou certa vez 74 pontos em um jogo no ensino médio Seu pai Kevin que tinha 1 98 metro de altura também jogava basquete e seus três irmãos mais novos Klayton Kaleb e Kirk adoravam o esporte na faculdade Kyle foi um jogador de basquete excepcional no ensino médio ele marcou em média quase 18 pontos por jogo durante seu último ano na Universidade de Creighton no estado de Nebrasca Após passar algum tempo em Utah e Chicago Kyle foi para a equipe Atlanta Hawks em 2012 Eu nunca fui o cara mais alto Mas sei como me manter bem em jogo Danny Ferry diretor do Hawks concorda Kyle trabalha com objetivo e foco e otimiza seu desempenho em quadra afirma Ele é muito ligeiro e esperto Essas palavras são gratificantes mas só o trabalho duro vai fazer com que Kyle aos 33 anos se mantenha no topo Nos últimos sete intervalos entre temporadas de jogos ele vem se exercitando individualmente com Marcus que conheceu quando jogava com o Utah Jazz Mas foi só no verão de 2013 que Marcus lhe apresentou a ideia do treinamento misogi Kyle era perfeito por muitos motivos afirma o cientista esportivo Inclusive por já ter desenvolvido em si mesmo uma grande motivação interna Kyle busca a verdade a bravura e a honra Ele é como um guerreiro e possui um espírito aventureiro Mas principalmente está sempre tentando melhorar Eu topo disse Kyle para Marcus após saber sobre o misogi Mas o que vamos fazer Você já fez stand up paddle perguntou Marcus Não O que você acha de praticar stand up de Channel Islands até Santa Barbara São 40 km em mar aberto Acho que é loucura mas estou dentro disse Kyle Nelson e Deyl também toparam Eles chegaram a Channel Islands pouco depois do nascer do sol no começo de setembro de 2013 Deyl ficou no comando do barco de apoio alguém tinha que fazer essa função Nelson e Marcus remaram ao lado de Kyle Eles esperavam encontrar águas paradas mas em vez disso se depararam com ondas de 30 a 60 cm Marcus havia explicado rapidamente o plano para Danny diretor do Atlanta Hawks antes de partirem para a jornada Ele ficou temeroso mas não nos impediu lembra Marcus As mãos cotovelos pés e joelhos de Kyle poderiam sofrer lesões Até uma torção no dedo mindinho poderia alterar seu arremesso perfeito NA ÁGUA Marcus Elliott durante o treinamento de um dia Kyle caiu após 45 segundos em cima da prancha de stand up Foi a ondulação lateral conta Marcus Remamos de um lado só nas primeiras quatro horas o vento estava soprando e tentando nos levar para longe até Malibu Daí começamos a remar ajoelhados Depois de 20 minutos meu ombro começou a travar lembra Nelson Nas primeiras seis horas eu achava que a gente não ira conseguir Então sangue humano começou a manchar a água e eles confundiram um peixe lua gigante com um tubarão Uma barbatana lembra Kyle Eu estava com medo e machucado Meus dedos sangravam conta Tudo que eu podia fazer era me concentrar em cada remada relembra Kyle Estou tirando o remo da água no momento certo Como consigo me equilibrar melhor Decidi avaliar cada parte da remada executando a de modo totalmente perfeito Depois de nove horas eles pisaram em terra firme O primeiro misogi em grupo estava concluído Foi incrível recorda Kyle Em algum momento é preciso aceitar que não há como desistir e que será preciso persistir até cruzar a linha de chegada As desculpas têm que ser deixadas de lado A mente precisa se concentrar E é necessário treinar essa disposição mental Tudo se encaixa quando as pequenas coisas são executadas perfeitamente Levei essa lição do misogi para os meus arremessos Kyle fez sua cesta de três pontos no 127 jogo consecutivo na temporada seguinte quebrando o recorde inédito na NBA Daí resolveu que continuaria fazendo misogis enquanto sua esposa e Danny permitissem Quando eu perguntei a Douglas Fields neurocientista no National Institutes of Health quais eram os benefícios e desvantagens possíveis da nossa corrida com pedra embaixo d água ele respondeu com uma palavra Hipóxia falta de oxigênio no corpo Entretanto Douglas explicou que se submeter a uma experiência nova e difícil pode ter efeitos neurológicos Você pode explorar a bioquímica da novidade afirmou ele Os processos moleculares envolvidos durante uma experiência nova estressante ou traumática são ativados e tudo é gravado na memória de longo prazo Absolutamente tudo É por isso que testemunhas se lembram de detalhes triviais Esse efeito pode ser usado favoravelmente no treino explica Douglas Além disso ainda segundo ele o córtex pré frontal controla as respostas fisiológicas de medo estresse e dor Dispor se a insistir em situações de dor e adversidade pode fortalecer o controle dessas respostas Segundo Douglas é exatamente o que faz o tal método japonês ele expande os limites das pessoas ao fortalecer o controle da porção frontal do cérebro Sejam quais forem as consequências Kyle não falou muito sobre o misogi para seus colegas do Atlanta Hawks porque eles poderiam chamá lo de maluco Porém Jesse Itzler um dos consultores de negócios da equipe ficou sabendo sobre o tal ritual Inspirado por Kyle Jesse vem considerando fazer seu próprio misogi Estou tentando organizar algum desafio que se encaixe nos moldes do misogi Pensei em um projeto que chamo de Por Mar Por Terra e a Pé Seriam 161 km de remada 161 km de corrida e 161 km de ciclismo sem parar Mas eu não quero acabar no hospital por causa disso UMA SEMANA ANTES de eu ir para a Califórnia Marcus revelou a tarefa que havia escolhido para este ano em um e mail para sua equipe Embora surfistas de onda grande segurem pedras embaixo d água como parte de seu treinamento eu nunca ouvi falar de ninguém carregando pedra embaixo d água por certa distância O que faz com que a distância seja irrelevante e assim sendo é perfeitamente relevante como um desafio misogi Na noite anterior a nossos 5 km aquáticos nos reunimos na casa de Kyle nas montanhas acima de Santa Barbara cuja vista se estende para o Pacífico Tomamos vinho acompanhado de um jantar sem glúten enquanto Kyra a filha de 2 anos de Kyle e as duas filhas de Deyl engatinhavam e corriam ao nosso redor com seus brinquedos Essas crianças precisam começar a fazer misogi disse Kyle Andar poderia ser considerado um misogi respondeu Nelson É difícil se equilibrar aos 2 anos A lesão intestinal de Marcus foi de fato resultado de um problema de equilíbrio Como conta Nelson Marcus estava de bobeira em um skate com uma câmera durante um dos projetos artísticos de Nelson quando de repente caiu Marcus não é o único que está se recuperando Nelson ainda se recupera de um acidente de carro em que machucou as costas e o pescoço há seis meses e Kyle enfrenta uma dor chata e persistente no pé Eu disse ao meu médico que faria uma grande corrida na água dali a poucos dias conta Kyle Ele achou uma boa ideia Acho que seu médico estava pensando em uma piscina rasa cheia de velhinhas afirma Deyl Que seja Este misogi foi prescrito pelo médico conclui Nelson Então o rumo da conversa muda para os desafios do dia seguinte Vamos começar a reunir dados e a perder calor corporal ao mesmo tempo afirma Deyl Após 15 minutos faremos alguns ajustes revela Nelson A partir daí a vida fica bem simples A dor vem em camadas Só é preciso passar por cada uma delas Na verdade até começamos a nos sentir bem Ele faz uma pausa e olha para mim Não importa se você conseguirá ou se ficará esgotado Amanhã você terá feito uma corrida com pedra embaixo d água no mar mais longe do que qualquer um de seus amigos A meta são cerca de 3 km certo pergunta Marcus saboreando uma cerveja Eu achei que estávamos falando em 5 km diz Kyle O último misogi levou nove horas comenta Nelson Mas agora é diferente retruca Kyle Estaremos dentro d água Sim Não vamos mais deslizar como no stand up afirma Marcus Você usará um cinto com peso E prenderá a respiração repetidas vezes E se demorarmos três horas para percorrer um trecho e tivermos péssima performance Antes de irmos embora Deyl sugeriu um plano de emergência Se der tudo errado há duas grandes montanhas bem acima do ancoradouro Se for preciso a gente se reveza correndo com a pedra montanha acima Tragam tênis de corrida Kyle está de pé às 4h15 para cuidar de sua filha que está chorando Quando Kyra volta a dormir ele se deita e pensa sobre a diferença entre um misogi e um jogo de basquete Não se pode perder um misogi Eu posso ficar muito resfriado Posso ficar muito cansado É preciso controlar o nervosismo mas é diferente de um jogo de basquete Isso é aventura Deitado no quarto do hotel esperando o despertador tocar também estou nervoso Intencionalmente não treinei para o que estou prestes a fazer queria testar meus limites Também me senti assim antes de fazer a trilha dos Apalaches há mais de dez anos Será que aquela trilha me preparou para este momento Nelson me pega por volta de seis horas da matina todo animado Eu pergunto sobre o Alasca para nos distrairmos um pouco A montanha onde esquio na minha cidade fica 32 km ao norte do semáforo situado no ponto mais setentrional da América Eu me lembro de competições em que fazia tanto frio que os lifts de esqui não funcionavam Nelson era esquiador de elite mas não bom o suficiente para viver só do esporte Ao longo dos anos ele trabalhou como pedreiro operador de máquinas pesadas e em marketing de internet antes de se tornar um artista Ele pretende exibir suas obras de arte no museu Guggenheim até os 40 anos de idade O misogi e a arte ensinaram a Nelson a mesma lição você pode fazer o que quiser No barco Deyl me dá algumas barras de cereal com chia e aroma de café enquanto nos dirigimos para Channel Islands Eu nunca gostei de esportes cheios de regras quando era mais novo conta ele Mas ouvi falar da Sahara Race há alguns anos e fiquei intrigado porque metade dos competidores não consegue terminar a prova Minha esposa estava grávida mas disse Vai nessa Foi o desafio físico mais difícil em que já me meti conta Ele correu uma maratona por dia nos quatro primeiros dias e duas maratonas no quinto E ainda havia uma volta da vitória ao redor das pirâmides do Egito Quando voltei Marcus me perguntou E aí como foi Nós sentamos para tomar uma cerveja coisa rápida Duas horas e meia depois estávamos no estacionamento falando sobre o misogi Eu fiquei todo animado Após duas horas chegamos ao ancoradouro Coches Prietos colocamos nossos neoprenes e nadamos em direção a uma praia deserta para procurar pedras grandes Após alguns minutos Kyle gritou que encontrara uma É esta aqui disse ele com água pela cintura e a tal pedra na mão com os braços curvados Eu achei a pedra grande demais Mas quando a segurei na água carregar a pedra pareceu quase aceitável Minha primeira equipe tem Marcus que não está tomando nenhuma precaução real três semanas após ter entrado na faca e Deyl eles acham uma pedra ligeiramente menor Nós nos reunimos em uma ponta do ancoradouro Marcus é o primeiro a submergir e faz isso por 6 5 metros mais ou menos Deyl vai um pouco mais longe volta à superfície e fica com a cabeça para fora d água pouco acima da pedra para que eu saiba onde ela está É minha vez Mergulhar enquanto as ondas obscurecem a água e me jogam de um lado para outro requer tanta energia que quando eu seguro a pedra sinto imediatamente que preciso de ar Durante minhas primeiras 12 tentativas subo para a superfície após alguns metros e balbucio algo parecido com uma desculpa Rapazes é que não é Esperem Droga Enquanto isso Kyle carrega a pedra em distâncias cada vez maiores aparentemente com facilidade Para mim a primeira hora é um exercício de doer os olhos arder os pulmões e acabar com o orgulho próprio A segunda hora também assim como a maior parte da terceira Eu me desentendo com o fotógrafo aquático que está me acompanhando para esta reportagem e quase começo uma briga Marcus acidentalmente arranha meu rosto com a pedra Logo depois eu bato em sua canela Trocamos poucas palavras além de Aqui Você consegue Mandou bem Só que eu não estou mandando bem Parece que não tenho fôlego suficiente Sou

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3980-a-arte-do-atleta-zen (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    do atleta zen Como ficar mais forte treinando só uma vez por ano Continuar lendo CHARLES BETHEA KYLE KORVER MISOGI TREINO ZEN Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=MISOGI (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    preparação e estratégia corretas para competições endurance de mountain bike são fundamentais e por isso Breno que foi o 5 colocado na categoria solo completando uma distância de 266 8 km a seguir dá dicas que irão fazer a diferença em sua próxima prova de longa distância Faça as contas Quando falamos de distâncias grandes que beiram ou passam dos 300 km os cuidados para a prova vão além daqueles que estamos acostumados a ver em competições com menos de 10 horas de duração Alimentação e hidratação por exemplo são essenciais durante o tempo todo e devem ser pensadas com antecedência para não faltarem durante a prova Revise tudo Todo o equipamento principalmente a bicicleta deve estar revisado e pronto para aguentar qualquer condição e os quilômetros a serem rodados Não se esqueça da iluminação para o período noturno pois o percurso não costuma ter postes de luz No caso da Brasil Ride 24 Horas ainda haverá sempre trilhas fechadas São singletracks que passam pela aprovação do ciclista e organizador Mario Roma classificados como muito técnicos mesmo pelos atletas mais experientes Pense que isso só aumentará os desafios durante as longas horas em cima da magrela e por isso é fundamental estar com o tudo em perfeito funcionamento Seja otimista É importante lembrar sempre que qualquer pequeno desconforto se transformará num verdadeiro monstro ao longo de tantas horas de pedal Por outro lado um pequeno erro não é tão relevante em meio a centenas de quilômetros rodados Portanto não desanime se algo der errado logo de cara porque quase tudo pode ser corrigido ao longo da competição Quando comparada às provas curtas que não deixam espaço para eventuais tombos ou azares as provas de 24 horas têm essa vantagem Leve na esportiva e divirta se Na Brasil Ride 24 horas

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3976-mtb-endurance (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    69 Braços e mentes Três brasileiros encaram o desafio de passar 24 horas remando no mar Continuar lendo 24 HORAS BRASIL EXPEDIÇÃO REMO 29 04 15 Notícias MTB endurance 4 dicas para se dar bem numa prova longa de mountain bike Continuar lendo 24 HORAS BRASIL RIDE ENDURANCE MOUNTAIN BIKE MTB Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta Publicidade

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=24%20HORAS (2015-10-13)
    Open archived version from archive