archive-br.com » BR » R » REVISTAGOOUTSIDE.COM.BR

Total: 854

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    altitude e certamente um dos mais exóticos Esse Patrimônio Histórico da Humanidade que marca a fronteira entre Brasil Venezuela e Guiana guarda alguns segredos decifrados apenas por quem chega até lá entre eles o vale dos Cristais ponto alto da trilha O monte fica no parque nacional de mesmo nome cuja porta de entrada se dá pela cidade de Pacaraima em Roraima a 200 quilômetros de Boa Vista De lá saem expedições como as da agência Roraima Adventures roraima brasil com br 95 3624 9611 que podem durar até sete dias O trekking é considerado difícil e um bom condicionamento físico se faz necessário A aventura já começa ao atravessar a fronteira para a Venezuela carimbar o passaporte em Santa Elena de Uairén e finalmente embarcar num jipe 4x4 até a aldeia de Paraitepuy marco inicial da trilha A caminhada é longa são 29 quilômetros até o topo Já no primeiro dia andam se 16 quilômetros com apenas uma subida extenuante Ao final da primeira etapa da jornada mais um presente um belo banho nas águas do rio Tek seguido de uma noite numa comunidade indígena Depois de um reforçado café da manhã são mais nove quilômetros no segundo dia que termina aos pés da montanha no acampamento base de onde se tem uma das vistas mais bonitas do lugar Ali a ordem é descansar e guardar energias para finalmente alcançar o cume A reta final é na verdade um paredão gigante mas chegar lá em cima ver tudo do alto e curtir a sensação de dever cumprido são de fato a melhor parte da aventura No platô vive se um dos momentos mais marcantes e especiais o vale dos Cristais Imagine a sensação de se estar num vale e pisar sobre uma infinidade de cristais de quartzo branco encravados nas pedras A abundância e o brilho impressionam São diversos tipos tamanhos e formatos que enchem os olhos e o coração A agência Pisa Trekking pisa tur br de São Paulo também oferece roteiros até o Roraima Vale do Rio Preto Parque Nacional das Sempre Vivas Minas Gerais Lugar quase intocado e ainda pouco explorado este vale é repleto de paisagens dramáticas da serra do Espinhaço e de muita água que juntas proporcionam cenários incríveis O Rio Preto que leva esse nome por causa de suas águas límpidas porém escuras fica entre os municípios mineiros de Diamantina e Buenópolis Quase todos os trekkings por lá começam no pequenino e hospitaleiro vilarejo de Macacos Para se chegar até a comunidade o ideal é fretar um carro com motorista em Diamantina já que o ônibus só vai até o distrito de São João da Chapada distante 22 quilômetros do início da caminhada Logo nos primeiros quilômetros já começa o verdadeiro desafio a trilha em si Falta de sinalização nenhuma ponte e muito carrasco nome local da vegetação espinhenta que cresce em meio às rochas aguardam os mais corajosos Mas não demora para que o passeio comece a valer a pena quando se

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/2436-vale-tudo (2015-10-13)
    Open archived version from archive


  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    a estrada à noite quando voltar para o hotel Você pode passar o dia todo sem encontrar uma só pessoa e na maioria dos trechos não há sinal de celular assim um carro quebrado por ali pode significar muitas horas ilhado Se não quiser retornar para Teresina considere percorrer mais 80 quilômetros até a cidade de Pedro Segundo PEDRO SEGUNDO Cconhecida como a Suíça piauiense pelas temperaturas amenas que no inverno podem baixar para 15 C a cidade de Pedro Segundo fica na serra dos Matões a 220 quilômetros de Teresina Tem como singularidade a incidência de opala uma pedra semipreciosa encontrada em apenas dois lugares do planeta no Piauí e na Austrália Curiosidade local como a pedra tem bastante valor comercial foi criada por lá a moeda opala utilizada dentro dos limites da cidade Reserve uns dois dias para desbravar a região O melhor roteiro é percorrer a trilha de Trombas até o vilarejo de mesmo nome Localizada a poucos quilômetros do centro de Pedro Segundo o passeio dura cinco horas ida e volta e atravessa terrenos técnicos com pedras soltas até alcançar a comunidade sertaneja cercada pela gigantesca serra dos Matões Se possível leve uma bicicleta alugue uma em Teresina no Big Explorer por R 15 a diária Afinal é por essas bandas que passa parte da duríssima prova de mountain bike Piocerá além de um rally de moto e de jipe em um percurso conhecido como a Rota das Emoções piocera com br De lá existem duas opções para voltar a Pedro Segundo subir a serra no estilo escalaminhada de mata fechada pelo caminho conhecido como Apertado da Hora ou seguir até a estrada do Caranguejo Seja qual for sua escolha no fim do passeio que soma cerca de 20 quilômetros a parada no Mirante do Gritador para observar a imensidão verde é obrigatória Pedro Segundo abriga também a cachoeira do Salto Liso que fica a 14 quilômetros do centro da cidade Com uma queda d água de 35 metros de altura atrai muitos praticantes de rapel principalmente entre os meses de dezembro e junho quando a quantidade de água é maior Se você não tiver comprado um passeio na capital o melhor é ir até a associação Acontur em Pedro Segundo para obter informações de percursos ou contratar um guia diária de R 60 aconturpii pi blogspot com br e acontur gmail com PARNAÍBA A pouco mais de 300 quilômetros de Teresina a cidade litorânea de Parnaíba tem esse nome porque abriga parte do rio Parnaíba o maior do Estado possui 1 850 quilômetros de extensão e chega até o Maranhão É nesse extremo norte do Piauí que o rio encontra o oceano Atlântico e forma o delta do Parnaíba Visto de cima o encontro do rio com o mar lembra o desenho da palma de uma mão com cinco dedos que desembocam no Atlântico entre o Piauí e o Maranhão e 73 ilhas diferentes De Parnaíba partem passeios diários com barco lanchas ou dependendo da

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/2350-na-terra-do-sol (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    dar valor para tudo isso Transporte Viação Saritur 31 3272 8525 ônibus saindo de BH Viação Serro 31 3201 9662 ônibus retornando a BH por Conceição do Mato Dentro Agência de turismo Nhangatu Expedições Lapinha da Serra 31 9135 0101 e 31 8431 9136 Hospedagem Casa do Soter Lapinha da Serra 31 3224 9501 31 8881 9501 e 31 9153 9501 lapinhadaserra com br casadosoter Pousada Travessia Lapinha da Serra 31 9107 3840 pousadatravessia com br Mais informações portaldalapinha com br PICO DA NEBLINA FLORESTA AMAZÔNICA AM DESAFIO SUPREMO Chegar ao pico da Neblina pode ser difícil mas vale o esforço Foto Marcelo Andrê Chegar ao topo do Brasil exige mais esforço do que um trekking de fim de semana ou uma travessia de quatro ou cinco dias A subida do Pico da Neblina 2 993 metros de altitude pode ser encarada como uma expedição extrema porém cheia de recompensas A logística é complexa e os custos são altos portanto uma boa opção é montar um grupo para a viagem se tornar viável Também é preciso planejar o roteiro com antecedência e conseguir autorizações entrando em contato com o ICMBio o órgão que controla os parque nacionais e a Associação Yanomami do Rio Cauaburis e Afluentes AYRCA tribo predominante na região que avalia os objetivos e intenções da expedição e dá o aval final para a subida Para quem sai de outras capitais brasileiras tudo começa por Manaus a metrópole mais próxima do Pico De lá é preciso seguir para São Gabriel da Cachoeira voo diário de 2h30 de duração ou três dias de barco o último ponto estratégico na civilização A partir daí são cerca de 80 quilômetros off road em uma estrada complicada que piora bastante no caso de chuva mais dois ou três dias de barco dependendo das condições dos rios Cauaburis e Tucano com mais quatro dias de caminhada até o acampamento base a aproximadamente 2 mil metros de altitude O trekking é exigente terreno molhado sobe e desce constante raízes no caminho travessias de rios e a incômoda presença de insetos Do acampamento base é possível alcançar o cume cerca de mil metros acima em um dia com média de dez horas de caminhada Há duas opções pernoitar em cima ou sair bem cedo e retornar no mesmo dia O inverno é uma boa época para visitar o Pico da Neblina mas as chuvas são presentes durante todo o ano O clima de floresta tropical significa umidade constante e o próprio nome do Pico já traduz o cenário É fundamental a presença de um guia experiente na área tanto para conseguir os mantimentos corretos como para cruzar territórios indígenas em uma área bastante inóspita do país Mas todo o esforço e planejamento certamente valerão a pena e proporcionarão um dos trekkings mais lindos e selvagens da sua vida Na opinião do Marcelo É o lugar mais isolado em que já estive na vida No alto do Pico da Neblina em uma noite aberta você não vê nenhum sinal de luz Ali você está no coração da Amazônia onde a natureza é imensa forte e implacável Autorizações ICMBio 97 3471 1617 e 3638 3495 icmbio gov br Aéreo Trip Azul Linhas Aéreas trajeto Manaus São Gabriel da Cachoeira voetrip com br Guia local Antônio Henriques Leão o Branco brancoguia yahoo com br ELISEU FRECHOU Montanhista veterano e fundador da Montanhismus a primeira escola de escalada do Brasil no interior de São Paulo SERRA FINA MANTIQUEIRA MG SP E RJ Para quem busca um roteiro com aventura paisagens memoráveis e boas histórias para contar a Serra Fina é uma ótima opção Esse clássico trekking na região da Serra da Mantiqueira é realizado em grande parte em altitudes próximas a 2 000 metros com caminhadas em cristas de montanhas O fato de se ter de levar todas as tralhas de camping água comida e equipamentos para se proteger do vento e do frio deixam as subidas ainda mais puxadas Mas conquistar o Pico dos Três Estados e ver lá de cima uma imensidão de montanhas é motivo suficiente para encarar a empreitada O rolê guarda outras boas notícias pelo caminho já que o Pico é a cereja de bolo de uma expedição cheia de perrengues em um local com clima instável e trechos com o solo bastante úmido No total são cerca de 35 quilômetros que podem ser feitos entre dois a cinco dias Tudo começa na cidade de Passa Quatro MG em um acesso pela fazenda Santa Amália A trilha em si sai da Toca do Lobo com o primeiro destino rumo ao Alto do Capim Amarelo que serve como opção para pernoite O próximo objetivo é atingir a Pedra da Mina referência na região como ponto culminante da Mantiqueira Antes de se chegar ao Pico dos Três Estados ainda é preciso cruzar o Vale do Ruah com diversos charcos bifurcações e vegetação fechada Já no trecho final passa se pelos Altos Ivos a caminho da BR 354 onde é preciso já ter agendado o resgate para te transportar dali Uma agência especializada pode traçar um planejamento para todos esses pontos com locais de acampamento durante a noite Também é possível contratar um guia local em Passa Quatro ou seguir o trekking por conta mas saiba que a navegação é complicada com trechos bastante íngremes A dificuldade é ainda maior com a baixa visibilidade comum na região tanto pelos trechos de mata mais fechada como pela neblina Na opinião do Eliseu É um passeio incrível com um visual de cima da crista da serra quase o tempo inteiro Recomendo ir o mais leve possível Há muitos trechos com vegetação fechada e mochilas cargueiras muito altas atrapalham bastante Agência Pisa Trekking pisa tur br Transporte Viação Cidade do Aço ônibus sentido Passa Quatro MG cidadedoaco com br VALE DO PATI E TRAVESSIA CAPÃO LENÇÓIS CHAPADA DIAMANTINA BA IMPERDÍVEL Caminhe pela Chapada Diamantina ao menos uma vez na vida A Chapada Diamantina não é considerada um dos melhores roteiros

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/2336-tempo-de-trekking (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    Tags Sua busca para JORGE SOTO 12 08 13 Tempo de trekking Pedimos a alguns especialistas em trekkings dicas de roteiros imperdíveis para você percorrer trilhas por todo o país Continuar lendo BRASIL ELISEU FRECHOU JORGE SOTO MARCELO ANDRÊ PEDRO HAUCK TREKKING Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta Publicidade Fotos Existe vida em Marte Um pedal solitário pelo

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=JORGE%20SOTO (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    dos Pioneiros Você escolhe ficar entre duas ou sete horas em cima da bike dependo do percurso escolhido Com muita subida e descida o mais longo corta o Pampa Pilmaiquén onde guanacos são criados para serem reintegrados à natureza selvagem Já a intermitente lagoa dos Patos é um clarão na mata que ajuda a manter viva a população de lebres javalis e outros mamíferos ao seu redor O retorno a Neltume acontece depois de uma longa sessão de downhill com passagens técnicas O aluguel da bike mais o guia saem por US 38 Dia 3 Relax NO TOPO Arvorismo até a tirolesa Voo da Águia Reserve o dia para conhecer a floresta patagônica por outro ângulo Huilo Huilo tem dois complexos de arvorismo que destorcem o nariz dos que acham que não há emoção em uma tirolesa Um deles batizado de Voo da Águia tem cem metros de extensão e 35 de altura e passa entre a copa das árvores do bosque úmido Para chegar à descida principal é preciso antes atravessar passarelas suspensas que são um desafio leve aos já acostumados com altura O próximo passo é mirar a descida do Voo do Condor uma tirolesa que em alguns pontos está a 95 metros do chão É só não fechar os olhos para se sentir abraçado pelas montanhas nevadas da reserva Turismo também é informação e não apenas tirar fotinhos brinca o motorista chileno Jorge Alba que solta uma mão do volante para disparar sua câmera imaginária enquanto seguíamos rumo à Fundação Huilo Huilo outro passeio bem interessante para um dia mais tranquilo Além de projetos visando a preservação ambiental a instituição também é responsável por empreendimentos sociais no povoado de Neltume Num atelier rústico de 20 metros quadrados o talhador de madeira Dragomir González ensina seu ofício a um grupo de crianças e adolescentes de uma escola local Natural de Valdivia capital de Los Ríos ele mora há sete anos em Neltume e há quatro meses realiza esse significativo trabalho voluntário organizado pela fundação OUTONO Floresta patagônica nativa Dia 4 Rolê a cavalo O cavalo é um meio de locomoção tradicional na região patagônica e na reserva de Huilo Huilo há áreas propícias para serem exploradas dessa forma No lombo de uma montaria da pura raça chilena nem a neve que embranquece o bosque no inverno é um problema Chino é um desses cavalos criados na reserva extremamente bem tratado e ensinado a cortar os caminhos estreitos da floresta temperada com o cuidado de não esbarrar nas árvores Ele responde aos comandos da rédea com mais precisão do que um controle remoto O roteiro mais extenso US 100 tem em torno de cinco horas e chega a um mirante com vista para o rio Fuy e o imenso lago Pirehueico Dia 5 Caminhada na neve Seres tropicais podem estranhar o frio patagônico que chega a zerar a temperatura mesmo na meia estação A recompensa no entanto é poder curtir a neve o ano inteiro Entre junho e agosto

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/2334--sete-dias-e-um-destino (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    Tags Sua busca para HUILO HUILO 09 08 13 Sete dias e um destino O que fazer durante uma semana de perfeito isolamento na maior reserva biológica da Patagônia chilena O que você quiser Continuar lendo HUILO HUILO PATAGÔNIA RELAX TREKKING VIAGEM Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais ao norte do planeta Publicidade Fotos Existe vida em Marte Um pedal solitário pelo

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=HUILO-HUILO (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    um bom tempo em Sagada porém a dica aqui é pegar um jeepney o curioso transporte público local espécie de caminhão ônibus todo colorido e seguir até Aguid o vilarejo mais ao norte de Sagada distante meia hora dali Um pouco antes de Aguid fica a vila de Bangaan Peça para descer Bem em frente à parada do jeepney localiza se o centro de guias locais Contrate um e desça por uma hora pelo vilarejo do povo Applai passando pelos arrozais até a maravilhosa cachoeira de Bomed KoK salto grande na língua local com três quedas de cerca de 10 metros de altura e um poço bom para banho Não vá sozinho a trilha é um labirinto E leve lanche e água pois não há nada para vender pelo caminho Depois do banho o retorno deve ser morro acima até Aguid passando por dentro do arrozal O passeio todo leva cerca de quatro horas sendo duas de caminhada Duas boas dicas fique em Bangaan na Homestay da Ana US 3 a diária por pessoa uma pessoa superamorosa e almoce a comida caseira no restaurante da sua vizinha a Jane Você se sentirá em casa 2 Banaue Do Vista Point ao centro da cidade BEM TÍPICO Vendedor filipino A estrada que liga Sagada à cidade de Banaue é maravilhosa São cerca de três horas passando entre as nuvens a dois mil metros de altitude Se estiver de carro próprio faça tudo sem pressa Se for de ônibus opte por ir de dia Banaue é a terra do povo ifugao onde os terraços de arroz são esculpidos com barro Para se locomover na cidade a melhor pedida é tomar um triciclo outro curioso transporte local que são motos com uma carroça acoplada coberta e pintada com motivos animados Para facilitar a vida hospede se na Banaue Homestay beatrizbandao rocketmail com 63 920278 7328 US 8 a diária de casal A dona Beatriz Bandao a Béa é uma simpatia faz comida divinas contrata os melhores guias e é a senhora do lugar por onde circulam todos os mochileiros trocando informações A melhor trilha é a do Banaue Main Viewpoint que desce todo o vale até o rio da cidade A viagem começa com um triciclo até o ponto mais alto Dali inicia se o sobe e desce a pé pelos arrozais com paradas em diversos mirantes A trilha pode ser feita em cinco horas com tempo para falar com o povo local e fotografar Não se trata no entanto de uma trilha das mais fáceis A dificuldade mora no equilíbrio da travessia pelos arrozais por linhas de barro estreitas e escorregadias em que é proibido cair para o lado do abismo A dica é levar um bastão e inclinar o corpo para a montanha Se puder vá cedinho antes de o sol nascer quando as nuvens deixam o vale criando um clima místico nos arrozais 3 Batad Rumo à cachoeira de Tappiyah Depois de explorar Banaue tome um jeepney por uma hora 12

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/2257-na-terra-dos-devoradores-de-arroz- (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    ÁSIA ECOTURISMO SOLOS VULCÂNICOS TREKKING VIAGEM 26 03 13 Viagem Luxo sob as estrelas Uma hospedagem do tipo glamping pode oferecer boa infraestrutura de acomodação e serviço sem perder a proximidade com a natureza Continuar lendo ECOTURISMO EQUIPAMENTO ESTRUTURA GLAMPING 21 11 11 Viagem Um rolê pelo fim do mundo O arquipélago das ilhas Malvinas é um dos últimos grandes destinos de vida selvagem do planeta Continuar lendo ECOTURISMO FIM

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=ECOTURISMO (2015-10-13)
    Open archived version from archive