archive-br.com » BR » R » REVISTAGOOUTSIDE.COM.BR

Total: 854

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    não conseguia discernir a complicada dinâmica de uma guerra civil Mas consegui entender o terror quando ele apoiou o rosto nas mãos e soluçou enquanto me contava que tinha visto famílias inteiras de camponeses espremidas em cubículos de dois por um metro e meio que eram suas casas enquanto trabalhavam em plantações de banana multinacionais A política daquela situação é diferente da que está acontecendo em Mianmar mas o sofrimento não Um ano após sua viagem meu pai visitou igrejas em Minnesota EUA e reuniu uma dúzia de pessoas para voltar com ele à América Latina Esta lição sobre o poder de transformação das viagens esteve comigo quando passei pela Colômbia Cuba Guatemala Venezuela Butão e outros lugares problemáticos No meu caminho fiz contribuições onde achei que fariam diferença Quando eu for a Mianmar vou prestar muita atenção aonde vai meu dinheiro Suu Kyi argumenta que minhas taxas de visto fornecem moeda forte para o governo e que os hotéis onde me hospedarei pertencem a oficiais corruptos Ela está certa quanto a quem receberá a maior parte do dinheiro mas está deixando de lado o volume relativo envolvido No ano passado 248 mil turistas gastaram praticamente US 150 milhões em Mianmar Isto equivale a quase metade do comércio de pedras preciosas do país que foi estimado em US 297 milhões no ano passado de acordo com um relatório da organização de defesa dos direitos humanos a Human Rights Watch HRW E isso não é nada se comparado aos US 2 2 bilhões que o regime ganhou em 2006 com negociações de gás natural com a vizinha Tailândia transações que vão contra as políticas de isolamento americanas e européias Com o foco do governo de Mianmar nas negociações lucrativas de seus recursos naturais arrancar dos cidadãos o dinheiro proveniente do turismo passa a ocupar um segundo plano John Sugnet vice presidente de vendas e marketing da empresa Geographic Expeditions de São Francisco EUA declara que de acordo com suas fontes 80 do dinheiro que seus clientes gastam em Mianmar atualmente permanecem com a população local Ao mesmo tempo o câmbio está ficando mais fácil o que significa que os turistas não precisam necessariamente usar os inflacionados e regulados certificados de moeda Mas visitar as ditaduras mundiais não tem só a ver com dinheiro Tem a ver com enxergar algo que os boicotadores dizem que não acontecerá mesmo que você vá O problema é que as pessoas que visitam apenas o triângulo dourado de Rangum Mandalay e Inle Lake voltam dizendo Não é tão mau assim diz Jeremy Woodrum diretor da Campanha pela Birmânia organização norte americana sem fins lucrativos O regime impede as pessoas de verem a realidade Há dois problemas com esse argumento Primeiro se os americanos tivessem visitado Rangum setembro passado a realidade estaria muito clara Soldados do governo mataram 31 manifestantes a maioria pacíficos monges budistas que marchavam contra a alta dos preços dos combustíveis O CEPD bloqueou o acesso à internet no país durante o período de

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3185-veja-o-lado-mau (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    COMPETIÇÕES DESAFIOS EUROPA 31 12 69 Notícias A solução dos problemas A estrela do boulder Daniel Woods enfrenta matematicamente seus desafios Continuar lendo BOULDER DANIEL WOODS DESAFIOS 31 12 69 Notícias Contra ataque Paratletas contam como estão preparados para derrubar as barreiras no esporte Continuar lendo DESAFIOS PARATLETA SUPERAÇÃO 31 12 69 Notícias Veja o lado mau A melhor resposta de um viajante a um regime opressor Ver com os

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=DESAFIOS (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    espelho refletindo o céu e as nuvens Quem visita a região nessa época sabe da singularidade do efeito visual produzido e da dificuldade de distinguir terra e céu É uma sensação parecida com o flutuar entre as nuvens garantem os forasteiros Também este é o período mais perigoso para atravessar o lugar de carro por causa dos chamados baixios que são buracos capazes de engolir um automóvel inteiro PANORÂMICA Região ao redor do Salar no altiplano boliviano que está a 3 400 metros de altitude em relação ao mar COMO O UYUNI É O MAIOR CAMPO DE POUSO DO MUNDO eu e um grupo de documentaristas mexicanos fretamos um monomotor na cidade boliviana de Cochabamba para irmos até lá De cima o contraste que víamos das cores das paisagens que rodeiam o deserto branco é literalmente estonteante O piloto havia preparado uma garrafa de chá de coca para que não sofrêssemos com a altitude elevada Do alto seguimos o percurso dos caminhões carregados de sal que iam pela estrada rumo à pequena cidade de Uyuni a 30 quilômetros do deserto o vilarejo é a porta de entrada boliviana para uma das regiões mais áridas do mundo pois vizinho ao Salar está o deserto do Atacama ao norte do Chile Depois de três horas de vôo bastava escolhermos um local para aterrissar perto de veículos off road que já nos aguardavam no chão O Salar foi eleito recentemente símbolo turístico da Bolívia Contudo o povoado de Uyuni perdido no meio do nada tem apenas 10 mil habitantes e só não é quase uma cidade fantasma por conta dos estrangeiros que circulam em camionetes de agências turísticas Uma parte dos moradores do vilarejo trabalha no quartel do exército outra em minas de prata da região e uma parcela cada vez maior com o turismo Junto com o vizinho Atacama o Uyuni atrai visitantes do mundo inteiro que desejam conhecer a região mais inóspita da América do Sul Uma opção inusitada é pernoitar no hotel Playa Blanca construído totalmente com blocos de sal paredes e móveis Foi lá na única opção de hospedagem no Salar que ficamos pelo preço de 60 dólares a diária Ao caminhar pelo deserto a claridade é tão forte que ofusca a visão e o visor da câmera fotográfica se perde com tamanha intensidade de branco Mas clicar essa monocromia não é o único atrativo neste tapete salgado Há no horizonte alguns vulcões inativos com picos nevados e no chão pequenas ilhas de terra que guardam o bem mais precioso da fauna e flora local a água Os vulcões e essas ilhas d água são as poucas referências visuais para os motoristas que conduzem turistas pela região Mesmo os nativos admitem as dificuldades de navegar pelo salífero GIGANTES DO DESERTO Na Isla del Pescadores existem cactos de até 10 metros de altura É também nas madrugadas de céu límpido que o Salar esbanja o máximo de estrelas que a visão humana poderia alcançar Situado a centenas de quilômetros de

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3205-deserto-salgado (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    DESERTO SALAR DE UYUNI VIAGEM 31 12 69 Viagem Dois jipeiros tabajaras no deserto A história de dois brasileiros malucos que encararam o Rally Dakar e quase não saem vivo Continuar lendo DESERTO HAROLDO NOGUEIRA JIPE RALLY DAKAR RICARDO LOPES 17 03 15 Notícias Skate selvagem Conheça o cara que viajou mais de mil quilômetros em cima de um skate Continuar lendo CLAY SHANK DESERTO SKATE VIAGEM Publicidade Vídeos Surf

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=DESERTO (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    ultramaratonista Ray Zahab conta como foi seu desafio de cruzar a pé o Salar de Uyuni na Bolívia para inspirar jovens Continuar lendo BOLÍVIA EXPEDIÇÃO IMPOSSIBLE2POSSIBLE RAY ZAHAB SALAR DE UYUNI 31 12 69 Notícias Deserto salgado Toda a imensidão de sal do Salar do Uyuni na Bolívia Continuar lendo BOLÍVIA DESERTO SALAR DE UYUNI VIAGEM Publicidade Vídeos Surf na água fria Uma session geladaça em uma das regiões mais

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=SALAR%20DE%20UYUNI (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    um recife de coral será que não precisamos de algumas lições rápidas de nosso vizinho sobre jardinagem urbana estilo de vida de baixo impacto ambiental e como colocar dois caras numa bicicleta CRIME As lagostas do mar cubano onde a venda particular é crime ALÉM DE SER o pior divemaster que já encontrei o guia que nos levou às águas profundas a oeste de Cuba também era um bobo Um bobo é um apreciado tipo cubano alguém deliberado desafiador e divertidamente metido Neste caso o divemaster era um reclamão que vivia rindo e evitando nossas perguntas ignorava a palestra de segurança só para fumar um cigarro não falava para onde estávamos indo e sobre a vida marinha que encontraríamos dizia a gente discute os peixes depois Ele também ficava ridículo em sua pseudo roupa de mergulho Mas a água ah a água Os sedimentos dos rios fazem os mergulhos nas praias do leste cubano não muito impressionantes mas aqui no oeste árido de frente para Cozumel num pequeno resort chamado María la Gorda a corrente ascendente de água limpa do mar e vida marinha que vinha da fossa Cayman cria alguns dos melhores pontos de mergulho do Caribe Cada ondulação na areia parecia ao alcance das mãos apesar de estar a 10 metros de distância Logo me vi no meio de um monte de bolhas Meu colete o regulador e o regulador reserva estavam todos soltando jatos de ar Todo equipamento vaza em Cuba sempre disse o mergulhador ao meu lado Era um neozelandês loiro na casa dos 20 chamado Ryan Ele sugeriu que formássemos uma dupla algo que o divemaster não se incomodou em fazer e fomos para baixo seguindo os outros mergulhadores na medida em que o banco de areia se transformava em um dos íngremes paredões de Cuba os veriles uma linha reta até o fundo do Caribe O divemaster nos levou até uma fenda estreita na areia um crevasse no fundo do mar e sem olhar para trás ele e os outros entraram nela com Ryan e eu por último A descida era quase vertical e as paredes do cânion eram fechadas e cobertas com longas árvores de coral negro um dos corais com crescimento mas lento sob maior risco de extinção no mundo Ele tinha esquecido de mencionar que estávamos indo direto para uma das mais famosas formações de corais negros de Cuba onde milhares de anos de devagar progresso agora estavam vulneráveis a qualquer malandro descontrolado com roupa de mergulho Essa antiga floresta era um ótimo argumento em favor das políticas conservacionistas de Cuba o comércio mundial do coral negro sofre várias restrições graças ao tratado CITES da ONU justamente por já ter sido devastado em lugares como as ilhas Cayman e Yucatán Mas em Havana encontrei pérolas do coral a venda na lojinha do hotel Havana Libre por um dólar O governo de Cuba se permite fazer várias coisas como prender golfinhos com redes e vendê los para parques aquáticos na década de 1990 que seriam condenadas se feitas pela iniciativa privada Consegui sair do cânion sem estragar nada mas assim que cheguei ao mar aberto minha orelha esquerda estourou Engasguei com o susto e a dor e esqueci da minha flutuabilidade Afundei 30 metros sem ninguém comigo além de Ryan que via tudo de longe A dor estava me afastando de tudo muito fundo muito perigoso respirando rápido demais pânico mas fechei os olhos e me forcei a corrigir minha profundidade seguindo Ryan lentamente ao longo do paredão passando por corais de três metros de comprimento imensos peixes bodião roxos e peixes anjos reais Um polvo espiou de debaixo de uma rocha enormes jarras de coral cobriam a parede um recife saudável repleto de vida em um reino azul esmeralda Quando voltamos ao barco o divemaster já estava a bordo fumando um cigarro Nunca conversamos sobre os peixes e quando voltamos à terra firme e perguntei seu nome ele saiu fora sem responder Prestação de contas não é uma coisa muito cubana E como para enfatizar esse ponto um tripulante descuidado derrubou um tanque de oxigênio no meu pé e ficou sorrindo desamparadamente enquanto eu xingava Deus e o mundo Fala se muito sobre o que vai acontecer quando os turistas norte americanos puderem visitar Cuba mas os europeus e os canadenses já estão aqui 2 3 milhões por ano trazendo cerca de US 2 bilhões para a ilha segundo a revista The Economist Nos últimos dez anos Cuba dobrou o número de quartos de hotel para 50 mil ignorando preocupações ambientais no processo Na península Varadero duas horas a leste de Havana reservas de coqueiros foram derrubadas para dar espaço a mais hotéis além dos que já havia no lugar Na costa norte em 1988 o governo abriu uma estrada elevada de 27 quilômetros no meio das baías rasas da bela ilha de corais de Cayo Coco e depois construiu uma série de hotéis com 3 mil quartos no total Dezenas de espécies de pássaros e peixes sofreram graves danos por toda Cuba biólogos arqueólogos pescadores e dissidentes me disseram que Cayo Coco foi a gota d água que criou o ativismo ecológico a primeira vez que viram o meio ambiente como um problema político Hoje a estrada possui postos de polícia que não deixam os cubanos comuns passarem o exemplo definitivo o qual Frommer se refere como pontos turísticos ao estilo apartheid onde os estrangeiros podem curtir a vida longe da realidade da ilha María la Gorda ficava isolada graças à geografia ao preço e à política Um hóspede cubano sequer vai ao pequeno resort que fica numa praia bonita com chalés confortáveis e ótimos pores do sol Mas a comida era patética um self service de salada de salsicha galinha a la desertor e peixe oleoso que costuma ser reciclado para o café da manhã do dia seguinte Isso é típico nos resorts cubanos pelo menos na minha experiência e explica porque Cuba tem uma das menores taxas de lucro do turismo internacional Tudo desde o alto custo da taxa de aterrissagem de aeronaves uma das mais caras do mundo até um peso moeda cubana especial para turistas caro na ilha e inútil fora dela faz de passeios fora da área dos resorts uma coisa difícil e devagar Ryan parecia desiludido Nós passamos quarto dias em Havana disse enquanto lavávamos nosso equipamento e foram quatro dias a mais do que gostaríamos Ele fez uma imitação dos vendedores de charuto e dos aspirantes a cafetão He joe my fren my fren you wanna Habana cigar girlfren mulatta negra rubia Ele e seus amigos gostaram de Viñales a tranqüila região produtora de tabaco a oeste do país mas aqui era o único lugar que poderiam amar de verdade A água era mais quente que na Nova Zelândia e não havia trambiqueiros burocratas ou até mesmo cubanos sob as ondas EL MORRO O farol e castelo que são marcos do país O TURISMO EM CUBA é freqüentemente administrado pelos militares María la Gorda é controlado pela Gaviota S A a maior agência de turismo de Cuba que por sua vez é uma subsidiária das Forças Armadas Revolucionárias O piloto de um helicóptero de passeio me contou que aprendeu a pilotar num navio de guerra soviético no Afeganistão meus vôos domésticos foram todos em aviões da Gaviota pintados de verde e amarelo tropical mas listados nos aeroportos como aeronaves do exército Por meio da Gaviota os militares oferecem expedições de pesca excursões de mergulho e viagens para fontes térmicas e no país inteiro táxis da TransGaviota te levam dos restaurantes Gaviota para os hotéis Gaviota oferecendo a loção hidratante Gaviota No bar de um desses complexos militar turísticos o hotel Nacional em Havana deparei me com Wayne Smith um ex diplomata de barba que foi o homem de Jimmy Carter em Havana cuidando da Seção de Interesses dos EUA o mais próximo de uma embaixada que os Estados Unidos têm por aqui Ele estava sentado numa poltrona de vime na varanda de trás desse palácio de pedra Músicos passavam por ali como na época em que Al Capone Winston Churchill e um monte de astros do cinema dormiam aqui Smith agora dirige o programa cubano para o Centro de Política Internacional de Washington Ele conhece Castro há décadas Por isso pergunto se El Comandante era realmente responsável pelo sucesso de Cuba na ecologia Quem sabe respondeu Fidel é mergulhador Mas é uma questão complicada Cuba tem políticas duras em favor do meio ambiente mas num nível institucional quando é uma questão de desenvolvimento versus ecologia há várias brechas por onde se pode esgueirar O que lhe parece O de sempre respondo declarações visionárias seguido do mais puro caos Ele resmunga em resposta O meio ambiente em Cuba era igual àquele hotel mais um museu que um refúgio protegido e negligenciado com o Estado tirando sua casquinha e proibindo cubanos de entrarem David Guggenheim conselheiro do Harte Research Institute for Gulf of Mexico Studies Intituto de Pesquisa Harte para Estudos sobre o Golfo do México recentemente disse ao New York Times que mergulhar em Cuba era como voltar cinqüenta anos no tempo e foi o que pensei a respeito sobre a María la Gorda Mas Smith não aceitava isso na década de 1950 disse era impossível sair sem ver montes de barracudas tubarões nuvens de peixes Agora continuou a maior parte disso já era As pessoas precisam dos peixes da proteína Naquela noite provei o gosto da política de sustentabilidade oceânica no La Divina Pastora um restaurante numa antiga fortaleza espanhola de frente para o porto Cuba emprega técnicas holísticas para criar uma população saudável de lagostas com melhorias do habitat e limites de pesca impostos com uma dureza possível somente em ditaduras a venda particular de lagosta é crime em Cuba a polícia caça os pescadores ilegais de lagosta como se fossem traficantes de crack Isso permite que Cuba exporte frutos do mar congelados para a Europa e resorts no Caribe mas também beneficia os norte americanos como as larvas de lagosta são levadas pela corrente do Golfo os cuidados cubanos acabam ajudando a restaurar o equilíbrio das águas dos Estados Unidos O restaurante era administrado pela Gaviota Vestindo uma camisa havaiana o chefe se apresentou como tenente coronel das Forças Armadas Revolucionárias Gerardo Tur A Gaviota admitiu tinha uma relação próxima e bem direta com as forças armadas Ele mesmo tinha sido emprestado à linha de frente da luta do turismo e se gabava de ter a melhor carta de vinhos de Cuba Eu não testei a afirmação preferindo pedir um daiquiri e então sentado atrás de uma linha de nove canhões de ferro comi lagosta fresquinha com maionese de lima Atrás de mim está El Morro o farol castelo que é o mais famoso marco cubano Seguindo a linha da costa dava para ver a Seção de Interesses dos EUA iluminada por propagandas anti Castro e cercada por outdoor de resposta que mostra Tio Sam levando um chute no traseiro por cubanas sensuais Às 9 da noite o canhão do porto foi disparado uma tradição que remonta séculos Costumava dizer que o porto estava para ser fechado Hoje em dia é o tiro de largada para a noitada MARINA Barcos de pesca atracados ALGUMAS MANHÃS DEPOIS às 4h20 da madrugada embarquei num avião turboélice da marca Ilyushin tecnologia de ponta da década de 1960 para um vôo cheio de fumaça e trepidações até a província de Holguín no leste Uma banda de salsa barulhenta nos recebeu na chegada às 7 da manhã e os demais passageiros turistas europeus subiram num ônibus que os levaria aos resorts de praia locais que dizem serem os mais luxuosos de Cuba Em um estacionamento poeirento negociei um lugar no banco da frente de um velho jipe Toyota que seguia para a baía de Moa que dizem ser a mais poluída Também é uma das mais remotas Por dez dólares o triplo do que os cinco cubanos no banco de trás tinham pagado sentei na frente para uma viagem de três horas para o leste Subimos a Sierra del Cristal um dos locais mais lindos de Cuba cheio de pequenos riachos bosques de palmeiras ocultos e pequenos vales que se alternam com vastas paisagens Há meros quatro anos um fazendeiro encontrou um animal até então dado como extinto o pequeno almiqui no meio de sua colheita As montanhas dão espaço às planícies cobertas de fazendo onde o Fidel em pessoa cresceu Agora o lugar estava mais para os Irmãos Marx do que para Karl Marx fazendas abandonadas árvores derrubadas ranchos com mais vaqueiros que vacas e um haras que o motorista jurou ter apenas um cavalo Um resumo do que é Cuba Quando cheguei a Moa ao meio dia já havia trocado o Toyota por um Nash Rambler um carro da década de 1950 com um porquinho amarrado no pára choque No banco de uma bicicleta transformada em riquixá sai à procura dos ambientalistas clandestinos No começo as coisas foram devagar A corrente dessa coisa de três rodas ficava saindo do lugar e o motorista pedala para frente e para trás para recolocá la no lugar Fomos arrastando nos pela rua principal de Moa de um modo muito simbólico Cuba é assim mesmo gritou um bobo qualquer até uma humilde casa de madeira quase caindo num riacho sujo lar de Silverio Herrera Acosta um fotógrafo asmático de 55 anos Com ele estava Francisco Hernandez Gomez um ativista de 36 anos e aparência jovem Juntos os dois formavam a totalidade de seu próprio movimento político sem nem mesmo um telefone mas sob risco de serem reprimidos e presos Apesar de seus avanços ecológicos Cuba ainda é uma ditadura e os poucos ambientalistas independentes da ilha são constantemente lembrados desse fato Ecologistas de oposição e amadores que tentam se organizar ou protestar podem sofrer uma escalada de retaliações congelamento de carreira e falta de promoções seguido de sermões depois ameaças depois detenções informais e formais podendo chegar a anos de cadeia Os fundadores da Naturpaz um pequeno grupo ilegal de Havana foram presos várias vezes por divulgaram o estado dos córregos e ruas imundas de sua favela A verdadeira política ambiental de Cuba disse Silverio é calar a boca As iniciativas de conservação de Fidel são como uma mulher que se maquia mas não toma banho Silverio e Francisco só se tornaram ativistas porque a Moa precisava uma empresa norte americana a Freeport Sulphur construiu uma refinaria lá na década de 1950 quando a região ainda era selvagem agora Cuba opera três fundições construídas pelos soviéticos coletivamente conhecidas como Complexo Che Guevara e aluga a refinaria norte americana para a Sherritt do Canadá que diz fazer seu refino mais pesado em outros locais Em um surto de planejamento central a cidade de 65 mil operários foi construída diretamente na direção do vento o que resultou segundo Silverio numa epidemia de asma e uma das mais altas taxas de câncer de pulmão de Cuba até os adolescentes ficam doentes denuncia Passando o dedo por sua mesinha de centro de vidro ele libera uma nuvem de sujeira negra Limpei isso ontem explica É resíduo de ácido clorídrico soda cáustica amônia e outras coisas Francisco tentou resolver tudo pelos canais competentes Escreveu uma carta uma equipe do governo apareceu deu uma olhada na poeira de níquel e depois nunca mais deu notícias Você pode protestar contra o governo conta Francisco mas é só para sua própria satisfação Em 2006 ele começou a organizar uma pesquisa sobre as crianças com asma mas a polícia bateu na sua porta quatro vezes dizendo que parasse com aquilo Naquele mês de junho conta foi atacado e espancado por simpatizantes do governo e quando tentou dar início à pesquisa foi convocado à delegacia onde diz que foi chutado na cabeça costas e rins Quase um ano depois ele levanta sua camiseta Puma e mostra uma enorme cicatriz pálida Francisco e eu estávamos atravessando uma esquina quando ele me jogou nos arbustos Uma moto passou lentamente com um motoqueiro de capacete laranja Esse é o cara que nos vigia explicou Francisco Não temos medo da cadeia acrescentou com mais resignação do que audácia Se precisarmos ir nós vamos Em vez disso fomos às refinarias Alugamos um carro barulhento da década de 1950 e seguimos por uma região que parecia saída de um desenho do Papa Léguas terra vermelha depósitos de enxofre amarelos e rodopiantes nuvens de vapor As bermas de terra impediam que víssemos muita coisa mas mais tarde Eudel Cepero um ambientalista cubano exilado que dá aulas na Universidade Internacional da Flórida mostrou para mim as coordenadas no Google Earth Do espaço vi uma paisagem coberta de minas com piscinões que lançavam colunas de gás no mar Isso também faz parte do legado ambientalista de Castro Tinha que deixar Moa Os três hotéis rejeitaram me os ônibus do dia já tinham partido e não havia carro para alugar Ao cair da noite Francisco foi comigo a pé até a estrada ao lado da cidade onde esperei até às 23 horas com mais 30 pessoas no escuro na esperança de pegar uma carona Finalmente o paciente Francisco sugere que eu dormisse ilegalmente na sua casa apesar de que o capitão vai mandar alguém para te dar um corretivo Andamos de volta para a casa emissão zero de carbono e antes da meia noite chegamos a casa de três cômodos que ele dividia com a esposa o irmão a sobrinha e a mãe A mãe estava sentada na varanda da frente da casa numa cadeira enferrujada de dentista fumando um charuto Tomei um banho cubano um balde de água uma caneca e um pano e me deitei na melhor cama da família uma rede de cordas esticadas com molas quebradas Mosquitos brisas e finalmente chuva passavam pela parede de madeira Ah que se danem os resorts esta é a Cuba que eu amo generosa e esforçada cheia de

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3201-vermelho-e-o-novo-verde (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    Cuba Continuar lendo CUBA DOCUMENTÁRIO ONG CUBA SKATE SKATE YOJANI PÉREZ RIVERA 03 09 13 Notícias Missão cumprida Após cinco tentativas norte americana de 64 anos se torna a primeira pessoa a nadar de Cuba à Flórida sem proteção contra tubarões Continuar lendo CUBA DIANA NYAD FLÓRIDA NATAÇÃO 31 12 69 Notícias Vermelho é o novo verde Cuba é um paraíso ecológico Continuar lendo CUBA PARAÍSO ECOLÓGICO TURISMO VIAGEM Publicidade

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/tag.php?tag=CUBA (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    aí A subida quase o matou mas como recompensa depois de mais ou menos 15 minutos de trilha você ouve o som da cachoeira da Lage que se aproxima Até aqui passaram se em torno de cinqüenta minutos e é hora de tirar o tênis para atravessar o rio a caminho das águas geladas da cachoeira da Lage Mas cuidado Quando chove muito o rio fica intransponível por causa da correnteza e a rocha cheia de limo é escorregadia Dependendo de onde você pisa a água lhe dá uma rasteira molha testa Vencendo a etapa do rio continue na trilha mantendo se sempre à direita até encontrar uma pequena entrada São trinta metros que dependendo do cascão de seu pé podem ser percorridos descalços até a lage da cachoeira Na queda você enxerga um escorregador de pedra que desemboca numa refrescante piscina natural Um parquinho que merece mais de meia hora do seu tempo O melhor ponto para descer pelo tobogã é indo para debaixo de uma pedra no topo dele Bananinhas para repor a energia tibuns aos montes e muito sol na cara não podem ser deixados de lado neste paraíso Outra dica de segurança descendo cerca de vinte metros há uma queda d água com uma força descomunal Nem ouse colocar a sua cabeça ali A última pessoa que vi fazer isso levou trinta pontos na cabeça Assim depois do momento de relaxamento respire fundo encha o cantil e volte à pequena entrada de onde você veio virando à direita pois cerca de 2 3 da trilha ainda te esperam 2 parte Da Lage ao Areado Estamos no trecho mais longo da trilha mas sem muitos desníveis rios ou cachoeiras a serem vencidas Você caminhará por entre árvores durante pelo menos uma hora e quarenta até o rio Areado acompanhado apenas pelo som dos seus passos e da natureza O bom é que é quase impossível se perder na trilha do Bonete Desde a ponta do Sepituba até a praia não há bifurcações ou trilhas paralelas O caminho é uma antiga estrada feita há mais de vinte anos que foi abandonada e invadida pela mata Por isso sempre olhe onde pisa pois cobras lagartos pássaros e outros animais são facilmente vistos no percurso Após uma longa subida seguida de uma descida chega se ao Areado um rio mais caudaloso que o Lage Redobre os mesmos cuidados da travessia anterior Muita gente já voltou deste ponto por causa do risco real das trombas d água e subseqüentes correntezas fortes Dependendo do seu tempo e adrenalina desça pela lateral do rio até o mar para encontrar uma praia de pedras que guardam ondas de até três metros que apenas surfistas locais se arriscam a entubar 3 parte Do Areado ao Bonete A última etapa da trilha pode ser feita em menos de uma hora Quando encontrar a ponte que passa do lado de uma cachoeira é sinal de que você está chegando Não diminua o ritmo Em breve você chega

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3212-a-praia-dos-vikings (2015-10-13)
    Open archived version from archive