archive-br.com » BR » R » REVISTAGOOUTSIDE.COM.BR

Total: 854

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    para cima de carro e depois despenca com eles por downhills alucinantes Se a Table Mountain é o ponto mais turístico da Cidade do Cabo a montanha Lion s Head é o pico preferido dos locais para curtir um pôr do sol ou ver a lua nascer no Atlântico A trilha que leva a seu cume é super conhecida e bem sinalizada é só perguntar pra qualquer cabodiano São 90 minutos de caminhada e 360 graus de visual da Cidade do Cabo com suas praias urbanas e jardins botânicos a cidade é uma das mais arborizadas do mundo As trilhas da Table Mountain e do Lion s Head são exemplo de infra estrutura e sinalização mas são também técnicas cheias de pedras e desníveis Mesmo assim encontramos gente de todos as idades e condicionamentos caminhando pra lá e pra cá SURPRESA Ninguém nos avisou que no fim da trilha de bike íamos encontrar este visual Reserve também um dia para conhecer a Reserva Natural de Cape Point Cape Point Nature Reserve que é parte do Parque Nacional de Table Mountain e fica na pontinha sul da península A estrada que vai da Cidade do Cabo até lá beira o Atlântico e parece um pouco a famosa Pacific Highway na Califórnia com curvas que contornam penhascos e praias começando pelas badaladas praias da cidade Camps Bay e Clifton Bay cheias de cafés e bares Em ritmo de cruzeiro com paradas para fotos vinhos e nacos de queijos brie mais baratos do que mussarela levamos três horas para chegar à reserva onde ficam o Cape Point ponto mais meridional da península e o Cabo da Boa Esperança aquele que dizemos cruzar depois dos 50 anos de idade A opção de atividades na reserva é enorme trilhas de trekking e bike mergulho em naufrágios para quem não tem medo de águas gélidas monumentos históricos e áreas de piquenique Tudo isso sob a invariável força do Cape Doctor nome que os nativos deram ao vento que vem de sudeste e varre a região levando embora a poluição e trazendo boa sorte Ainda na órbita da Cidade do Cabo mas em direção ao norte está Stellenbosh centro da produção vinícola da África do Sul a duas horas de viagem da Cidade do Cabo A cidade segunda mais antiga do país concentra centenas de vinícolas a maioria delas oferecendo degustação e tour por suas instalações Para mim até então uma completa leiga no assunto foi uma imersão fascinante num mundo de aromas e misturas sutis tão sutis que na maioria das vezes eu não conseguia captar as madeiras frutas cafés e chocolates que os atendentes nos diziam estar contidos em cada garrafa Mas era gostoso mesmo assim Vá até o centro de visitantes da cidade e peça o mapa das vinícolas Escolha algumas e se entregue a Baco FIRMEZA Escada de ferro que leva ao topo do Amphitheatre no maciço de Drakensberg POUCOS TURISTAS DIRIGEM OS 250 KM 62 deles em estrada de cascalho que separam a Cidade do Cabo de uma das áreas de montanha mais bonitas da África do Sul Cederberg www cederberg co za área protegida como Patrimônio da Humanidade e parte da Reserva Natural do Cabo O lugar é uma rede de picos de escalada e trilhas para trekking e bike Suas rochas em tons de vermelho e ocre assumem formas inexplicáveis como a Maltese Cross e o Wolfberg Arch O trekking que vai ao Arch é imperdível passando entre enormes blocos de rocha e paredões de pedra com centenas de metros chamadas de Wolfberg Cracks ou fendas de Wolfberg Fique na pousada Cederberg Oasis www cederbergoasis co za e se não tiver medo de se espremer entre boulders gigantescos peça ao dono um figuraça chamado Herald para te desenhar o mapa da trilha que vai ao Arch passando pelas Cracks e pela Dark Passage Passagem escura uma espécie de game B para aventureiros mais saidinhos São oito inesquecíveis horas de trekking ida e volta Os dois dias que passamos em Cederberg foram incríveis não só pelas trilhas como pela comida e hospitalidade de Herald Nosso primeiro jantar na pousada uma bisteca suculenta com batatas fritas e vegetais grelhados pelo irrisório preço de 20 Rands ou R 6 foi especialmente educativo Dividimos a mesa com um casal da Cidade do Cabo ambos com cerca de 50 anos que nos mostraram uma perspectiva surpreendente da situação da classe média branca sul africana Ele Matthew fora despedido por causa da política governamental de cotas para negros Sem conseguir outro emprego se aposentou precocemente Hoje é mais difícil para um homem branco conseguir um emprego do que para um negro ele nos disse Herald branco descendente de holandeses moveu a cabeça afirmativamente concordando com seu hóspede É my friend essa história de cotas está deixando muita gente numa pior A esposa de Matthew Jane trabalha numa farmácia tradicional da cidade mas não sabe até quando Talvez a farmácia seja comprada por uma grande rede e ela pode perder o emprego ou ter que abrir mão do tratamento pessoal que gostava de dispensar aos clientes É o progresso trazendo novas desigualdades Cederberg também é um conceituado pico de escalada e tem muitas trilhas de mountain bike mas não há como alugar equipamentos e magrela por lá Melhor alugar na Cidade do Cabo e levar para a reserva Não acho que valha a pena levar a bike do Brasil e carregá la durante toda a viagem A África do Sul é tão segura quanto o nosso país ou seja é preciso tomar cuidado com suas tralhas ou periga não achá las onde deixou Na maioria dos lugares é possível alugar bikes decentes e se divertir sem preocupação PELADA Futebolzinho de fim de tarde nas colinas de Mdumbi na Costa Selvagem A FAMOSA GARDEN ROUTE OU ROTA DOS JARDINS www gardenroute co za vai de Mossel Bay até o rio Tsitsikamma numa seqüência de praias baías penhascos e montanhas costeando o litoral leste A área recebe bastante chuva e por isso concentra a maior parte das poucas florestas úmidas da África bem parecidas com a nossa Mata Atlântica por sinal Há praias perfeitas pro surfe outras ótimas para mergulho e quase todas infestadas por baleias principalmente na primavera de agosto a novembro Por ser uma espécie de riviera sul africana na Rota dos Jardins tudo é um pouco mais caro mais desenvolvido mais arrumadinho É como o litoral norte paulista com estrutura de turismo desenvolvida e também lugares lindos e desertos para curtir a natureza pra você se embrenhar em trilhas durante o dia e curtir um bom jantar à noite Aproveite estes dias de luxo porque mais adiante você terá poucas opções de restaurantes e pousadas Ao longo de toda a Rota a N2 uma das principais rodovias da África do Sul segue colada ao litoral O lance é ir dirigindo parando nas cidadezinhas e decidindo onde dormir ou passar o dia mas esse esquema livre e desimpedido só dá certo na baixa temporada no verão é preciso reservar hospedagem com antecedência ou corre se o risco de ter de dormir no carro ou de gastar uma fortuna Mossel Bay primeira praia para quem segue a rota de sul para o norte como fizemos vale a pena para quem quer surfar É um dos picos mais consistentes do litoral sul africano Lá assim como em vários outros pontos da rota também é possível fazer o famoso shark cage diving entrar numa gaiola e ser mergulhado no mar como um saquinho de chá para encarar tubarões bem de perto Como não nos animamos com essa idéia seguimos em frente e paramos na próxima praia Hartenbos Com areia batida e muitos quilômetros de extensão ela é perfeita para uma corridona de fim de tarde Lá ficamos no chalezinho mais barato da viagem uma simpática oca por 126 Rands a diária do casal menos de R 40 Cerca de 50 quilômetros depois de Mossel chegamos a Wilderness uma cidadezinha litorânea cercada pelo Parque Nacional de Wilderness com sua fileira de lagos e quilômetros de praias separados por uma fina faixa de terra por onde passa a N2 Lá ouvimos falar pela primeira vez em kloofing descer rios a pé transpondo cachoeiras de rapel e saltando de pedras em pedras às vezes de pedras em poços A Eden Adventures www eden co za tem um roteiro de kloofing de um dia que passa por gargantas que em alguns trechos têm somente um metro de largura mas quase 100 metros de altura Knysna outros 46 quilômetros adiante na N2 é uma das cidadelas mais agitadas e estruturadas da rota É um estuário maravilhoso guardado por duas rochas que eles chamam de Heads uma de cada lado da entrada do lago A praia Brenton On The Sea fica a poucos minutos de carro do vilarejo e tem um pôr do sol clássico que pode ser apreciado em grande estilo dos bancos estrategicamente colocados no topo das falésias Coisa fina Mas o que você não se pode deixar de conhecer de jeito nenhum são as trilhas de bike de Harkerville uma propriedade particular 15 quilômetros ao norte de Knysna Você paga 25 Rands cerca de R 7 para entrar e recebe um mapinha com quatro opções de trilhas diferenciadas por cores A vermelha e a verde são as mais legais porque chegam pertinho da beirada dos penhascos e têm visual do mar Escolhemos a vermelha de 24 quilômetros e vimos todas as nossas maiores expectativas serem superadas em grande estilo A trilha tem single tracks perfeitos alguns no meio da floresta úmida outros entre os fynbos uma vegetação de arbustos típica da África do Sul que sobem e descem as colinas e chegam na beira dos penhascos num dos visuais mais impressionantes de toda a viagem Foram quatro horas de pedal completados com um sorriso no rosto Esse rolê merece a fama que tem de melhor trilha de MTB da África do Sul A Rota continua por Plettenberg Bay praia onde o grande barato é dar um rolê de caiaque oceânico para ver as baleias de dentro da água As baleias vão para essa região na primavera para ter seus filhotes e ficam ali cinco meses alimentando seus rebentos com 600 litros diários de leite Em nossa remada levados pela Dolphin Adventures www dolphinadventures co za encontramos somente uma baleia preguiçosa provavelmente grávida que deixou que chegássemos a 50 metros de distância mas não se animou a dar uns saltos para nos deixar mais felizes Tudo bem ver de perto suas cracas e ouvir o barulho do sopro de ar que sai de sua cabeça valeu a remada Saímos de Plett como os locais chamam a praia e trocamos a N2 pela estradinha não pedagiada linda que cruza o passo de Grootrivier e passa pelo Nature s Valley para chegar ao Parque Nacional de Tsitsikamma uma estreita e longa faixa de litoral que vai de Nature s Valley ao rio Groot Tsitsikamma merece dois dias inteiros de suas férias No parque há dezenas de trilhas de poucas horas a vários dias de duração É pagar os 40 Rands R 12 de entrada pegar o mapa e escolher por onde e quanto andar A ponte suspensa que cruza o rio Storms é imperdível e rende um friozinho na barriga Espante a preguiça e encare a trilha que começa do outro lado da ponte e sobe até o mirante no topo do penhasco De lá de cima dá pra ver longe E não deixe de ir até a cachoeira a pouco mais de 1 5 hora de caminhada pelo trecho inicial da Otter Trail trilha de 42 quilômetros que é percorrida em cinco dias e exige reserva com antecedência Fizemos a trilha correndo literalmente contra o relógio porque já era quase fim de tarde As ondas explodiam nas pedras ao nosso lado passávamos zunindo pelos single track dentro da mata e pulávamos as pedras nos trechos em que a trilha virava costeira às vezes com água pelo joelho Foi ótimo Depois da Rota dos Jardins o próximo trecho de litoral que realmente vale a pena ei são 2 500 quilômetros de praia e é preciso fazer escolhas é a Costa Selvagem ou Wild Coast No caminho porém não dá para ignorar a lendária Jeffrey s Bay onde ficam as direitas mais longas do mundo sonho de 10 entre 10 surfistas e palco de uma das etapas do circuito profissional mundial o Billabong Pro WCT em julho Até quem não pega onda fica com vontade de começar e pra isso existem na cidade várias escolinhas de surfe Fora as ondas J Bay é o pico das compras Todas as grandes marcas de surfwear têm na cidade suas lojas de fábrica com preços super baixos Nosso carrinho alugado saiu de lá abarrotado de sacolas NA FISSURA As Wolfberg Cracks ou fendas trilha surreal para se chegar ao topo do Cederberg A COSTA SELVAGEM PARECE O LITORAL DO SUL DO BRASIL com praias de areia branca permeadas de colinas gramadas e rios que desembocam no mar A N2 passa longe desse trecho da costa Para chegar a cada praia é preciso encarar mais de 100 quilômetros de estradas vicinais sempre retornando à N2 para ir à próxima vila Isso tem ajudado a manter esta costa ainda intacta mas impediu que conseguíssemos conhecer muitas praias desse trecho A região é totalmente rural pontilhada por esparsas cabanas Xhosa principal etnia que vive nesta área redondas e com teto de palha O povo é pobre paupérrimo e vive da criação de gado cabras e carneiros A terra é ruim O acesso à água e ao saneamente básico é limitado Nós os turistas somos a luz no fim do túnel para essa gente Elegemos as duas praias mais famosas da Costa Selvagem para conhecermos Chintsa pronuncia se Tsíntsa a menos de duas horas de East London e Coffee Bay um pouco mais ao norte A estrutura turística das duas é pequena Cada uma tem duas ou três pousadas e não existem restaurantes você pode fazer seu rango nas cozinhas comunitárias ou encarar os jantares oferecidos pelas próprias pousadas nossa experiência mostrou que comemos melhor quando fizemos nossa comida As estradinhas que levam até as duas praias são bem perigosas sem iluminação ou sinalização e com muitos animais e pessoas andando na pista Melhor encará las só de dia Chintsa é uma delícia de praia totalmente deserta e sem nenhuma construção à vista A única pousada é a Buckanneer s www cintsa com mas a falta de opção não é problema porque essa foi um dos melhores lugares em que nos hospedamos em toda a viagem peça para ficar numa das suítes com vista para a praia O rio que desemboca na praia é ótimo para uma remada e a pousada disponibiliza caiaques e remos para os hóspedes além de passeios à cavalo pela praia Ali conhecemos um casal inspirador nossos vizinhos de quarto David e Helen dois londrinos que resolveram comemorar seus 25 anos de casados com uma viagem de um ano ao redor do mundo E aquela era apenas a segunda semana deles fora de casa Coffee Bay é famosa por causa da Hole In the Way Muralha Furada uma das formações rochosas mais peculiares da África do Sul O paredão separado do continente e com um arco que se parece uma porta para o mar é realmente lindo mas o trekking que vai da vila até ele é ainda mais impressionante Passa por colinas gramadas que deslizam até as pedras que por sua vez encostam se no mar ou nas praias Ovelhas cabras e vacas pastam pelo caminho e algumas cabanas Xhosa podem ser vistas aqui e ali Decidimos ir sem guia mas acabamos ganhando um no meio do caminho por acaso Seu nome era Boneta e ele estava indo na mesma direção junto com seu primo Falava um pouco de inglês e passou a caminhar com a gente com os pés descalços Recusava se a aprender o africânder língua dos brancos Em sua casa e na escola só falavam o dialeto Xhosa Contou que queria ser médico porque não tem nenhum doutor em Coffee Bay e lamentou o fato do avô ser policial Outro dia mataram um policial aqui perto preocupa se Andando rápido e ouvindo as histórias de Boneta chegamos a Hole in The Wall em menos de duas horas Nossa casa em Coffee Bay foi a pousada Bomvu Paradise www bomvubackpackers com auto proclamada o centro dos tambores na África do Sul As instalações são mais simples chuveiros só fora do quarto mas o astral é especial Os donos Karl e sua esposa Monique fazem um trabalho muito bacana na comunidade Empregam dezenas de nativos na pousada ajudam a criar as crianças órfãs que ficaram órfãs por causa do HIV e encabeçam o projeto AIDS To Eden que tem como objetivo usar os tambores com aulas produzindo e vendendo instrumentos ou com workshops para arrecadar fundos para a educação da população xhosa sobre a AIDS Assim como os donos de outras pousadas eles pedem que os turistas não dêem dinheiro ou doces para as crianças para não transformá las em pedintes Karl e Monique querem incentivá las a trabalhar e produzir No Bomvu vimos uma apresentação de dança Xhosa e assistimos à batucada dos meninos que fabricam seus famosos tambores com tronco de árvores e pele de cabras Os caras são uma espécie de Olodum sul africano muito bons de ritmo Com o incentivo de Karl e Monique estão ensaiando para se apresentar na Polônia Kobra apelido de um dos integrantes do grupo escolhido para ir pra Europa estava empolgadíssimo com a idéia Entrar num avião imagina só Nunca saí de Coffee Bay Quando voltarmos seremos reis para nossos irmãos ALÉM DO HORIZONTE Pedalando em direção ao penhasco na trilha de bike em Knysna na Rota do Jardim SAINDO DO LITORAL RUMO ÀS MONTANHAS DE DRAKENSBERG as mais altas da África do Sul deixamos a província de Eastern

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3342-menina-dos-olhos (2015-10-13)
    Open archived version from archive


  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    remada para esticar as costas se hidratar e se alimentar além de curtir as praias do caminho Antes do farol existe uma prainha boa para descansar antes de encarar a ponta de Castelhanos Prepare se pois após a laje de Castelhanos você já vai enfrentar mar aberto num dos trechos mais expostos da travessia Consulte a previsão do mar e ventos antes de se jogar no mar aberto Serão uma hora e meia mais ou menos de travessia até passar o costão e entrar na enseada de Lopes Mendes que contém a praia de mesmo nome muito bonita A praia é ótima para o surf por isso saia pelo canto esquerdo olhando para o mar mais tranqüilo Após Lopes Mendes existe uma mini praia chamada Santo Antônio com ondas fortes e logo a seguir o Caxadaço uma linda prainha protegida por uma ponta de pedra que praticamente não se vê do mar ideal para camping selvagem Esse dia tem cerca de 35 km ou 6 horas de remo 2 dia Após uns 50 minutos de remada a passagem pela lindíssima praia de Dois Rios é obrigatória para visitar as ruínas do presídio e curtir o visual Tome fôlego para o próximo trecho bem puxado até a praia de Parnaioca São 11km de costão duas horas portanto tenha à mão algo pra comer e beber As próximas praias de Leste e de Sul fazem parte da reserva e têm ondas fortes quase impossibilitando o desembarque com os caiaques Prefira continuar por mais 7 km 1 15 h até Aventureiros praia muito bonita também que possui um camping Alimente se bem e se o clima estiver favorável siga para as pontas mais respeitadas da ilha a do Drago e a dos Meros dois costões íngremes que se estendem por mais de 11 km até o próximo ponto de parada na praia de Provetá uma colônia de crentes fervorosos que possui um camping na praia Total do dia 33 km Tava pensando que era mole 3 dia Com a parte mais difícil e exposta da viagem para trás a próxima atração é a gruta do Acaiá na qual é possível entrar pela boca submersa e sair pelo seco mas só para os mergulhadores experientes Passando pela praia Vermelha já com duas horas de remada e Araçatiba a segunda maior comunidade da ilha chega se à Lagoa Verde na ilha da Longa onde existem grandes quantidades de peixes alimentados pelos turistas para observação Matariz possui ruínas da antiga fábrica de pescado e mais adiante na parte de dentro da Ilha dos Macacos está a Lagoa Azul onde também existe uma grande concentração de peixes turísticos A passagem do mini canal formado pela ilhota dá uma emoção extra à remada Outra baía imperdível é a Saco do Céu com águas verdes e paradas rodeadas por um mangue Este dia é também longo cerca de 38 km ou 7 horas de remada mas os pontos de parada até se chegar de volta ao Abraão são inúmeros

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3348-ilha-do-tesouro (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    longe vem o carro de boi No canto da sucupira 3 o tempo parece parar É a melodia de um Brasil antigo remoto colonial No movimento lento das rodas de madeira maciça a imaginação ganha asas e reconstrói capítulos inteiros da História do Brasil convocando de minhas memórias esquecidas ilustres brasileiros do antigamente Cabral Anhangüera os Tupi Guaranis uma tropa inteira dos Farroupilhas todos se juntam na marcha ritmada pelo canto da sucupira Caravelas voadoras cruzam o céu do Sertão Velas ao vento avançam rumo à encantada terra das Palmeiras ou Pindorama nome pelo qual o Brasil era conhecido por seus habitantes originais É de lá que saem chispando Lampião Maria Bonita e os cangaceiros atrás Olha o carro de boi Navios negreiros senzala Canudos a sucupira parece sangrar Enfim o carro de boi silencia o canto Vazio Tristeza que se instala pesada no ar até que se aviste lá longe o próximo carro de boi BRASIL PRÉ HISTÓRICO Para quem quiser ouvir as vozes do passado a janela do tempo está aberta e fica em São Raimundo Nonato no Piauí A Toca do Boqueirão da Pedra Furada é um lugar único no planeta em razão de sua importância arqueológica A coleção de pinturas rupestres que adorna o paredão da Toca é um dos mais belos exemplares de arte pré histórica conhecida nas Américas O lugar é no mínimo intrigante Por meio das imagens pintadas nos paredões há cerca de onze mil anos tentamos penetrar num mundo que não existe mais Muitas vezes as ilustrações surpreendentemente requintadas fazem com que possamos compreender a mensagem como se fosse uma conversa ao pé do ouvido Outras vezes os desenhos são confusos caóticos indecifráveis e os pontos de interrogação se multiplicam em nossa cabeça Mas afinal o que eles queriam nos contar Quem eram o que pensavam e como viviam os primeiros habitantes deste imenso território meridional ainda é uma lacuna na linha cronológica do nosso continente AMARGO DOCE OURO Rodando as engrenagens dos engenhos a mata atlântica do litoral nordestino deu lugar às plantações infinitas de cana de açúcar trazida de outras terras Girando girando as engrenagens os tumbeiros cruzaram o oceano as senzalas foram erguidas e o Brasil tornou se mulato No giro das engrenagens do engenho quantos homens morreram de fome e de dor Quantos nobres reis e rainhas se deleitaram com o doce ouro que nascia bruto destas terras atlânticas e era refinado com o suor e o sangue dos africanos Nas voltas da engrenagem de engenho quanta riqueza os mercadores lucraram com o produto made in Brazil O primeiro ouro a ser descoberto neste país e o primeiro a ser levado não foi o metal rígido e dourado das Minas Gerais mas sim o açúcar que nascia com o doce típico da terra Mas com o amargor pesado da escravidão A RAPADURA É DOCE Sertanejo adora rapadura O engenho antigo de mais de 200 anos parece que foi inaugurado ontem tamanha a movimentação Do lado de fora dois

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3355-vai-virar-mar (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    praia de Ubu você pode degustar tudo o que os pescadores retiram do mar principalmente o polvo Vila de Picinguaba São Paulo Trata se de uma das últimas praias do litoral norte de São Paulo quase na divisa com o Rio de Janeiro É uma vila de pescadores descoberta pelos turistas na década de 1990 Hoje já possui uma estrutura boa para receber os visitantes e é uma ótima base para explorar as praias vizinhas como a da Fazenda uma reserva ecológica com mangue e encontro do rio com o mar e a Brava da Almada ótima para o surfe Dá pra chegar nas duas praias à pé curtindo o visual Na praia da Fazenda também tem um rio bem gostoso para arriscar um rolê de caiaque O mar por ali aliás é bem tranquilo leve seu óculos de natação ou a máscara de mergulho Durma bem A pousada Rosa de Picinguaba tem um clima bem caseiro e aconchegante www pousadarosapicinguaba com br Há também muitas casas para alugar Anna Genaro é uma simpática senhora que coordena o aluguel de 25 casas na região Tel 11 6976 0972 Prefira as que ficam no pé do morro geralmente mais confortáveis e próximas de tudo Hora do rango A praia da Almada é bem pertinho e tem bons restaurantes de frutos do mar Outra dica é acordar cedo e comprar peixes assim que os barcos chegam da pescaria Em Picinguaba há apenas um mercadinho bem simples por isso é melhor fazer umas compras antes de ir para lá Piripiri Piauí Piripiri fica ao norte do Piauí a 157 quilômetros da capital Teresina O grande atrativo é o Parque Nacional das Sete Cidades São 6221 hectares de cerrado e caatinga onde você encontra sete locais bem peculiares cada um com características marcantes como pedras em formatos de animais pinturas rupestres dos índios tabajaras piscinas naturais e cachoeiras O parque possui uma sede onde você escolhe seu roteiro que pode ser feito a pé ou de bike Não esqueça de contratar um guia para não se perder Além dos roteiros oficiais eles podem te levar para caminhadas mais longas dentro do parque Há uma taxa de R 3 para visitação Durma bem O Hotel Fazenda Sete Cidades fica próximo ao parque e cobra uma diária de R 79 por casal mas também conta com área para camping R 10 por pessoa Mais informações no telefone 86 3232 3030 Hora do rango Para experimentar a culinária da região dê um pulo no restaurante Chico Jovem Prepare o estômago porque a comida não é fraca não churrasco de carneiro galinha d angola frita com arroz entre outros quitutes pouco leves TESOURO NORDESTINO Perto de Teresina no Piauí a região de Piripiri oferece trihas a pé ou de bike Isla Navarino Chile Sabe aquela história de fim do mundo Deve ser mais ou menos onde fica esta ilha localizada no extremo sul do continente no Chile depois da Terra do Fogo na Argentina A paisagem é alucinante

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3360-cha-de-sumico (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    oito picos localizados na Serra do Papagaio A incrível vista compensa o esforço da subida Aproveite o passeio enquanto a entrada para o parque ainda é gratuita 1 dia sábado Siga pela BR 267 até o quilômetro 38 Entre no trevo em direção a Aiuruoca A partir da entrada da cidade percorra uns quatro quilômetros de asfalto Nesse ponto há uma entrada à direita para uma estrada de terra localizada após uma curva Não tem erro a entrada é bem larga com várias placas indicando Cachoeira dos Garcias Retiros dos Pedros Pico do Papagaio Suba uns nove quilômetros até a sede do parque uma casinha branca que fica à direita de quem sobe após uma porteira com um mata burro Ali um guarda pedirá alguns dados do veículo Não se cobra nada para entrar no parque que aliás ainda não possui nenhuma infra estrutura Nessa estrada de terra você já pode avistar a estreita e comprida Serra do Papagaio Ainda de carro siga mais 600 metros até um muro de madeira pintado de verde Estacione pois a partir daí começa a caminhada Ande mais uns 15 minutos na estradinha de terra até aparecer uma porteira à esquerda que normalmente fica fechada Ande mais cinco metros até a entrada para a trilha da cachoeira dos Garcias Não se preocupe a trilha é fácil e bem marcada e em menos de 30 minutos você estará tomando um belo banho nas águas cristalinas da piscina natural da cachoeira Se sobrar tempo vale a pena conhecer o Vale do Matutu com suas inúmeras trilhas e cachoeiras como a do Fundo das Fadas do Estreito Pinheiral e dos Índios São três mil hectares de muito verde e visual bucólico Reserve uns momentos para conhecer o centro da cidade de Aiuruoca com sua bonita igreja matriz Para o jantar experimente a deliciosa truta do restaurante Kiko e Kika 2 dia domingo O acesso para a trilha do Pico do Papagaio via Retiro dos Pedros começa na mesma estrada de terra que passa pela sede do parque Após a portaria siga por mais alguns quilômetros até a estrada piorar muito e você não conseguir passar de carro Estacione o veículo ali mesmo e continue a pé Caso você tenha um 4X4 prossiga até um estacionamento que fica alguns metros à frente Até agora estava se andando do nordeste para o sudoeste mas a partir desse ponto muda se gradativamente a direção até para o sul e aos poucos para o sudeste Siga a pé na estradinha sempre tendo a Serra do Papagaio à esquerda Após 20 ou 30 minutos você passará por uma placa indicando o sentido e a quilometragem para o Retiro dos Pedros 4km Pico da Bandeira 5km e o Pico do Papagaio 8km Logo após a placa cruza se uma porteira mais dez minutos de caminhada há uma bifurcação para a esquerda é o caminho de uma pousada e para a direita ruma se para o Retiro dos Pedros Esse é o seu caminho

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3378-parque-dos-sonhos (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    chances de se perder são bem pequenas Ao final da trilha há uma ponte caída Cruze o rio e continue Até aqui você deve ter gasto por volta de três horas e meia de caminhada no passo de cruzeiro sem forçar muito O rio convida para um lanche e um ótimo banho Continue na trilha principal que o levou ao rio até passar por uma pequena fazenda A partir desse ponto comece a prestar atenção ao local de início da subida A referência é uma porteira de arame que fica logo após o cruzamento de um córrego você irá passar por algumas porteiras desse tipo ao longo da trilha lembre se sempre de fechá las Aproximadamente cinco metros depois da primeira porteira está o início da trilha Abasteça se no córrego que acabou de cruzar já que a subida é dura e não há água Ao final da subida existe uma clareira para montar acampamento Do Alsene até ali são sete horas de caminhada em média Para encontrar água siga a trilha que te levará para a esquerda em uma pequena descida e logo verá o córrego Para chegar até aqui no primeiro dia é importante começar a travessia bem cedo podendo assim montar seu acampamento e encontrar água ainda à luz do dia 2 DIA Saindo do acampamento continue na trilha que o levou até o córrego à esquerda Siga por ela e haverá uma bifurcação As duas trilhas te levam à parte de cima da serra seu objetivo do dia Porém é recomendável que se use a da esquerda Preste atenção ao cruzar um córrego pois depois a trilha segue por uma crista bem definida até o topo sem outros pontos para matar a sede Ao chegar ao cume você estará numa montanha à esquerda da Serra Negra Se você estiver com altímetro ele deverá marcar 2 195 metros E se São Pedro estiver do seu lado e o dia estiver claro você verá uma bela vista deste local que é conhecido como o Morro Pelado Depois de apreciar a Serra Negra desça no sentido leste em direção a ponto de acampamento dessa noite Você encontrará água na mata que está na base do morro 3 DIA Aproveite para relaxar no acampamento um pouco mais pela manhã já que agora é só descida até Maromba Antes de iniciar o dia de caminhada abasteça o cantil no córrego da base da mata Em aproximadamente quatro horas você já estará próximo à cidade Quando começar a perceber a civilização novamente pode optar entre seguir pela direita e dar no centro da cidade ou pegar à esquerda ao lado de algumas casas e entrar na estrada à direita para tomar um banho na cachoeira de Santa Clara Mochila Leve suprimentos para três dias barraca isolante saco de dormir protetor solar roupas leves para caminhar e quentes para dormir capa de chuva lanterna pares extras de meia canivete sacos de lixo boné legionário tensores para joelho e muita água Dica A melhor

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3399-fast-foot (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    liderança de guias veteranos a viagem começa no que pode ser considerado um revival do Mekong viagens comerciais de rafting em corredeiras classe IV V na parte selvagem do rio Você passará a primeira semana se aclimatando com a altitude e a cultura tibetana de Yunnan com caminhadas pelos 700 mil acres da reserva natural de Baima cheia de bambus e uma ascensão de 1 500 metros à vila de Yubong que fica a 3 657 metros de altitude De quebra você ainda vai dormir em casas tradicionais tibetanas Na segunda semana molhará seu remo em corredeiras classe IV próximas às bandeirinhas de oração do monastério de Xidang por seis dias e 128 quilômetros de bem aventuranças Operadora Mountain Travel Sobek www mtsobek com Quando ir março INDONÉSIA Pedalando em Bali Dificuldade moderada Preço US 2 798 Apesar dos maiores centros turísticos da costa sul balinesa ainda continuarem sentindo os efeitos colaterais dos atentados a bomba de 2002 e 2005 o perfume adocicado e a exuberante folhagem do isolado interior e da costa nordeste da ilha continuam como sempre foram intocados Nessa amostra de oito dias você fará um tour integral de imersão nessa cultura pedalando de 19 a 75 quilômetros durante o dia e à noite dormindo em spas e resorts com imensos jardins de frente para o mar A viagem começa em Ubud de onde se sai pedalando por uma estrada margeada por acres de plantações de hortênsias e cravos da índia até Pura Taman Ayun um templo flutuante do século 17 rodeado por um fosso Quando você chegar à costa nordeste da ilha e às areias negras da praia de Lovina arranque a bermuda de Lycra e dê um mergulho no mar de Bali Depois disso é hora de seguir para o leste passando por vulcões e plantações de arroz verdíssimas e parando para dar um mergulho de snorkel na barreira de corais da lagoa Azul e mais tarde para um jantar regado a curry verde na cidade de Candidasa Operadora Backroads www backroads com Quando ir janeiro a abril e outubro MYANMAR Explorando o arquipélago de Mergui Dificuldade moderada Preço US 3 995 a US 4 495 Os moken mais conhecidos como ciganos do mar que viajam pelo recentemente aberto arquipélago de Mergui um agrupamento de 800 ilhas bem ao sul da costa de Myanmar antiga Birmânia estão entre as poucas comunidades que ainda continuam com seu modo de vida marinho nômade sobrevivendo da pesca de lagostas e vagando de ilha a ilha em barcos feitos à mão Por 12 dias você seguirá os passos desses costumes em extinção pulando das praias de areia fina da ilha Clara para os estonteantes jardins de coral submersos ao redor da ilha Hayes irá mergulhar de snorkel e embaixo d água na inabitada ilha Lampi e remar de caiaque entre os penhascos de pedra calcária e túneis ao longo da sinuosa costa da ilha Ferradura O acampamento base fica num iate de madeira de 85 pés 26 metros com cinco cabines com ar condicionado onde as refeições misturam os sabores moken e tailandês como um peixe recém pescado do mar Andaman na baía de Bengala cozinhado no vapor com coco e citronela Operadora Wilderness Travel www wildernesstravel com Quando ir novembro a março PACÍFICO SUL Explorando ilhas isoladas Dificuldade moderada Preço US 5 950 Em 1789 os rebelados do navio HMS Bounty da frota real inglesa escolheram as ilhas Pitcairn um arquipélago de quatro ilhas a 1 930 quilômetros a sudoeste do Taiti para viver com suas noivas taitianas porque era longe de tudo e um lugar quase impossível para seus perseguidores ancorarem Hoje seus pouco mais de 50 descendentes vêem poucos visitantes pelas mesmíssimas razões Sinta um pouco do isolamento dessas pessoas passando uma semana fazendo trekking por colinas rochosas ajudando os locais a cuidar de seus barcos e ouvindo histórias sobre a vida numa ilha esquecida Esses são apenas alguns atrativos dessa viagem de três semanas pelo Pacífico Sul cuja maior parte você verá de um luxuoso veleiro de 60 pés 18 metros Também fará um mergulho com snorkel por corais coalhados de peixes tropicais seguirá pelo caminho de Mangareva uma montanha flutuante nas ilhas Gambier 515 quilômetros a oeste de Pitcairn e aprenderá a arrumar a vela mestra en route para inabitadas línguas de areia como as ilhas Henderson e Oeno onde você pode fingir que é um dos atores principais de Lost Operadora Ocean Voyages www oceanvoyages com Quando ir julho a outubro PARAÍSO Tudo fica longe das ilhas Pitcairn Foto Wolfgang Kaehler Corbis POLINÉSIA FRANCESA Caiaque marítimo em Raivavae Dificuldade moderada Preço US 4 775 Quer saber como era Bora Bora antes do turismo tomar conta da ilha Prepare se então para remar numa missão de reconhecimento de 13 dias para Raivavae pronuncia se exatamente como se lê um dos dois arquipélagos esquecidos pelo tempo na corrente Austral as ilhas mais ao sul da Polinésia Francesa a 3 610 quilômetros da Nova Zelândia Nesse roteiro uma das primeiras viagens de caiaque equipadas que saem da ilha você vai pular de motu para motu pequenas ilhas inabitadas nos recifes mais afastados pela manhã armar acampamento à noite e se dirigir para as lagoas para fazer pesca submarina e trazer umas garoupas para o jantar mas não se preocupe outros alimentos serão providenciados se você aparecer de mãos vazias Fique esperto para ver as baleias azuis o formato de ferradura do recife traz esses mamíferos do Pacífico para bem perto da costa Operadora Explorer s Corner www explorerscorner com Quando ir julho AUSTRÁLIA Mergulhando com os tubarões Dificuldade moderada Preço US 1 570 a US 1 950 Depois de passar três dias explorando a faixa de coral ao longo da Grande Barreira de Corais você continuará seguindo para o leste por volta de 110 milhas náuticas da costa norte da Austrália onde as correntes se encontram e os bichos papões do Pacífico aparecem para brincar É aí que o recife Osprey dá lugar a uma concha submarina de mil metros de profundidade lotada de barracudas atuns arraias manta e exatamente por essa profusão de alimentos uma quantidade imensa de tubarões de várias espécies Veja essa fauna marinha em quatro mergulhos diários durante seis dias se a profundeza te der medo fique só no snorkel Em cima d água observe e aprenda dos biólogos marinhos da Undersea Explore que medem e colocam etiquetas nos tubarões do recife num esforço para assegurar a proteção desse remoto e ainda primitivo ecossistema marinho Operadora Undersea Explorer www undersea com au Quando ir abril a dezembro TANZÂNIA Montanhismo no Kilimanjaro e no monte Meru mais safári no parque do lago Manyara Dificuldade desafiante Preço US 3 500 Prepare se para 18 dias de aventura Você vai conquistar o Kilimanjaro um dos picos mais cobiçados pelos montanhistas e pode entrar para o hall dos que conquistaram seu cume Montanha mais alta do continente africano o Kilimanjaro possui três grandes crateras Shira Mawenzi e Kibo Fica na Tanzânia país vizinho à África do Sul e tem 5 895 metros de altura Porém antes do Kilimanjaro há uma aclimatação de cerca de três dias no monte Meru onde você também irá atingir seu cume que fica a 4 565 metros Nos últimos dias da viagem um safári no parque do lago Manyara vai te levar para conhecer os animais da região Prepare suas pernas para longas caminhadas e seu pulmão para agüentar as mudanças de altitude Toda essa aventura tem orientação de guias especializados no esporte carregadores e equipamentos como barracas copos talheres e pratos Operadora Grade 6 www grade6 com br Quando ir o ano todo BOTSUANA Safári de elefante Dificuldade moderada Preço US 6 270 O problema da maioria dos safáris feitos nas costas de elefantes é que você nunca chegava a estabelecer um vínculo com o seu meio de transporte Essa questão foi astuciosamente resolvida no elegantemente subnomeado Abu Camp no delta de Okavango no deserto de Kalahari onde você passa os dias ao lado dos elefantes residentes que perambulam pelos 395 mil acres da reserva que envolve as seis belas cabanas construídas sobre plataformas Com a ajuda dos experts em vida selvagem e dos condutores de elefantes presentes no acampamento passe quatro dias e três noites interagindo com a manada e montando os elefantes ao longo de planícies inundadas para passear despercebido entre zebras girafas gnus e antílopes À noite sinta o tremor do vôo de algumas das 500 espécies de aves enquanto termina seu jantar cinco estrelas à beira da fogueira Operadora Classic Africa www classicafrica com Quando ir maio a outubro QUÊNIA A grande caminhada Parque Nacional de Tsavo Dificuldade desafiante Preço US 6 900 Você sente o cheiro deles conforme se aproxima diz a veterana em safáris Nadia Le Bon diretora de programas especiais da operadora Mountain Travel Sobek Você vê as pegadas o lado para onde eles foram o lado de onde vieram As pegadas frescas de um leão de Tsavo são um lembrete pungente para quem não quer esquecer que os humanos não estão no topo da cadeia alimentar especialmente quando você está viajando a pé pelo maior parque nacional da África ocidental lar de elefantes rinocerontes crocodilos e dos temidos felinos comedores de homens que aterrorizaram os trabalhadores das ferrovias há um século Esta jornada de 11 dias e 180 quilômetros pelo Quênia é um passeio no parque para o líder de nossa viagem Ian Allen um aventureiro experiente que certa vez já fez um trekking de 480 quilômetros do monte Kilimanjaro até o oceano Índico Você seguirá seus passos pelos rios Tsavo e Galana seguindo as pistas dos cinco grandes animais africanos leão leopardo búfalo elefante e rinoceronte enquanto cruza de oeste a leste o gigantesco parque de 21 500 quilômetros quadrados Quanto às criaturas carnívoras que fatalmente farejarão seu cheiro no caminho Le Bond diz Eles tendem a se afastar O trekking começa em Mzima Springs um ponto de encontro de hipopótamos na base da cadeia Chyulu 240 quilômetros a sudeste de Nairobi De lá você seguirá o rio Tsavo margeado por palmeiras ao longo de habitats de girafas e antílopes até seu primeiro local de camping na base das recortadas montanhas Ngulia Depois de um cochilo embaixo do cobertor de penas em sua barraca felpuda de safári estará pronto para tomar um drinque à beira da fogueira Nos dias seguintes você seguirá gazelas antílopes e zebras a caminho do lado leste do parque mais árido onde é mais fácil avistar pequenos animais selvagens na planície aberta A viagem termina com uma noite de mimos no resort Hemingway um hotel luxuoso num pedaço de areias brancas da baía de Watamu onde você pode relaxar ao lado da piscina e refletir sobre seu feito épico Operadora Mountain Travel Sobek www mtsobek com Quando ir março junho e setembro COSTA RICA Travessia costa a costa Dificuldade desafiante Preço US 2 790 Aqui está uma maneira de se livrar da horda de turistas na Costa Rica tente cruzar o país do Pacífico até o Caribe de bicicleta a pé e fazendo rafting Você começará essa jornada de 18 dias de costa a costa pedalando por dois dias do povoado costeiro de Dominical até as montanhas Tinamaste onde caminhará pela floresta até sua primeira noite de acampamento uma caverna rodeada por cachoeiras O próximo dia te levará até uma crista onde você ficará num incrível hotel à beira do rio Chirripo antes de começar um trekking de uma semana com a ajuda de carregadores pela floresta no planalto da cordilheira de Talamanca O resto dos dias serão passados num trecho do rio Pacuare de corredeiras classe III IV flutuando entre cânions com água despencando bem ao seu lado de várias cachoeiras de mais de 30 metros O rio te jogará nas terras baixas do Caribe onde você passará sua noite acampando na beira da mata Operadora World Expeditions www worldexpeditions com Quando ir março setembro e dezembro CRUZAMENTO Roteiro cruza a Costa Rica de costa a costa Foto Getty Images PANAMÁ Trekking pelo Darién Dificuldade extrema Preço US 4 995 Enquanto seu pirágua tipo de canoa te levar ociosamente pelo rio Tuira até uma cidade mineradora abandonada será possível ver bem mais antas e porcos do mato do que viajantes O total isolamento é a recompensa para cinco a sete horas diárias de trekking e canoagem pelo pedregoso e frequentemente enlameado terreno desta exploração de duas semanas do Darién a misteriosa floresta tropical de 6 4 milhões de acres que separa a América Central da do Sul Quando você cruzar com humanos estará nas remotas aldeias dos índios emberá As noites são passadas em postos da polícia florestal e acampamentos rústicos e o despertador são as araras e caracarás Operadora Myths and Mountains www mythsandmountains com Quando ir dezembro a abril A PÉ Prepare se para explorar a floresta panamenha Foto Getty Images CARIBE Explorando ilhas de veleiro Dificuldade fácil Preço US 1 500 Seis dias no veleiro Legacy de 300 pés 100 metros percorrendo as ilhas mais paradisíacas do Caribe como Aruba Bonaire e Curaçao além de inúmeras outras ilhotas pouco exploradas Em todas elas muito mergulho snorkeling e canoagem Dependendo de cada ilha é possível encontrar um leque de opções para praticar um esporte Em Aruba você encontra condições perfeitas para praticar windsurf e kitesurf em Bonaire mountain bike e escalada e em Curaçao que tal nadar com os golfinhos Com todas essas alternativas para chacoalhar o esqueleto é claro que há outras opções para relaxá lo Esticar as pernas nas praias experimentar a cozinha local fazer compras e freqüentar festivais e baladas estão entre elas Dentro do veleiro também há diversas atividades como conhecer como funciona a navegação do Legacy e toda a sua estrutura Operadora Top Travel www toptravel com br Quando ir setembro a maio ITÁLIA Trekking em Piedmont Dificuldade moderada Preço US 3 995 Esta introdução de seis dias à ainda tranqüila região agrícola 60 quilômetros a sudeste de Turim é um guia da Itália para glutões Há muito tempo um point gastronômico o movimento Slow Food começou aqui Piedmont produz os melhores vinhos da Itália Barolo e Barbaresco e uma cozinha refinada e pura com pratos como porco do mato e risoto com trufas frescas Depois de caminhadas diárias de dez a 24 quilômetros você chega numa casa de fazenda cercada de vinhedos Quando não estiver andando ou jantando num restaurante premiado experimente vinhos com uma família local beberique espumante com um dos melhores produtores locais siga um trifulao caçador de trufas e seu cachorro ou tenha lições de culinária e depois mergulhe numa banheira de água quente enriquecida com uvas esmagadas Operadora Butterfield Robinson www butterfield com br Quando ir maio e setembro FRANÇA Bike nos Alpes franceses Dificuldade desafiante Preço US 3 695 Um acampamento de sonho de dez dias para ciclistas sérios Acompanhados por um ex ciclista e fotógrafo profissional você pedalará em estágios da famosa Dauphiné Libéré disputada em algumas das mesmas ruas do Tour de France Abandone o pelotão ao fim do dia para explorar vilas de montanha pitorescas e elegantes como Uriage les Baines onde você se fortalecerá para o próximo dia de pedal com especialidades locais como salsicha de bode dos pastos dos alpes Savoy e requintados vinhos brancos Poupe suas pernas para o trecho de 117 quilômetros do último dia você também pode optar por percursos de 88 ou 150 quilômetros o Megève Mont Blanc Classic com 2 800 metros de subida sobre três magníficos colos Operadora Velo Classic Tours www veloclassic com Quando ir junho MALTA Natação pela costa de Malta Dificuldade desafiante Preço US 1 200 Localizada no estreito entre a Sicília e o norte da África Malta é um grupo de ilhas com as águas mais claras e quentes do Mediterrâneo Durante seis dias você nadará de três a cinco quilômetros diários indo de ilha em ilha e secando se em pequenas pousadas de famílias locais A qualquer momento você pode pular para dentro do barco de apoio que acompanha os nadadores e fique tranqüilo os guias sabem o que estão fazendo vários deles completaram travessias solo do Canal da Mancha À noite a diversão continua com conversas sobre técnicas de natação e análise dos vídeos feitos durante o dia Operadora Swim Trek www swimtrek com Quando ir abril a junho e setembro NO BRAÇO Vista da ilha de Malta Foto Chris Rogers CHIPRE Mountain bike nas trilhas de Troodos Dificuldade extrema Preço US 1 895 Para uma viagem ao nirvana dos pneus de cravo experimente essa excursão de 273 quilômetros de mountain bike na ilha de Chipre ao sul da Turquia Pedale por singletracks rochosos estradas de terra branca e trilhas sinuosas todas tendo como cenário de fundo montanhas ou uma vista do Mediterrâneo Seu campo base será o hotel Pendeli na área rural do resort de Platres Dali faça explorações diárias às montanhas Troodos com seus 1 828 metros de altura que oferecem condições perfeitas para um pedal responsa até sob o forte sol do verão mediterrâneo O terreno é mistureba pedras soltas que demandam certa técnica curvas fechadas subidas esburacadas pontes e downhills cascas grossas Suba as ladeiras até o topo do Chionistra de 1 951 metros para depois despencar até o mar mas tenha certeza de ter levado água extra porque o carro de apoio não consegue te seguir até lá Após as trilhas banhos de mar de banheira ou uma sauna no familiar Pendeli Operadora KE Adventure www keadventure com Quando ir junho julho e setembro TURQUIA Caiaque oceânico pela costa mediterrânea Dificuldade moderada Preço US 3 495 Explore a surpreendente costa mediterrânea da Turquia a bordo do cockpit de um caiaque oceânico nessa aventura multiesporte de oito dias Daí explore a pé essa mesma região acompanhado de um guia visitando tumbas licianas quando a Turquia ainda era chamada de Ásia Menor nos séculos 3 e 4 existia ali a província de Lícia o local de nascimento do deus Apollo e a pequena

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3405-viagens-dos-sonhos (2015-10-13)
    Open archived version from archive

  • Go Outside.com.br - Revista Go Outside : A maior revista de esportes ao ar livre e comportamento ativo do planeta.
    R 5 para entrar no parque Total do dia 12 km em 7 horas de caminhada 3 DIA É praticamente todo descida Contorne o paredão da cachoeira do Tabuleiro em ziguezague até a calha do rio Ribeirão do Campo com destino ao poço na parte de baixo Nesse pico existem várias vias de escalada No meio do rio antes de uma laje grande de pedra à esquerda próximo a uma pequena gruta começa a via Vestibuleiro de 20 metros de altura no paredão do lado esquerdo em frente à queda da cachoeira há a via Linda de Morrer de 350 metros no lado direito da queda existem as vias Hidro no Topo de 390 metros Chá Macrobiótico de 340 metros Infarto Supra Renal de 200 metros e Angelical Touch de 200 metros Total do dia 7 km em 5 horas de caminhada Mochila Leve suprimento para três dias barraca isolante saco de dormir protetor solar roupas leves capa de chuva lanterna seis pares de meia canivete sacos de lixo boné legionário tensores para joelho e muita água e material para escalada Pode se utilizar mulas para transporte de equipamentos DESPERTAR Que maravilha acordar e dar de cara com a cachoeira Véu da Noiva Para maiores informações do local guia e apoio Acesse o site www pousadadagameleira com br MORRO ACIMA Por Cassio Waki Percurso 25 km de bike de Santana de Parnaíba até Aldeia da Serra na Grande São Paulo Duração 4 horas com pausa para mergulho e almoço O que levar roupa para nadar e dinheiro para comida e bebidas Se você gosta de subidas de nadar num lago de comer feito um rei e depois voltar num downhill este é o rolê No centro de Santana do Parnaíba pergunte pela estrada de terra que vai até Aldeia da Serra O pedal começa entre chácaras e sítios até você se ver em meio ao verde e a muitas subidas Cuidado com as bifurcações e sempre opte pelas estradas mais inclinadas aconselha Fábio Noffs 27 anos membro dos Alphabikers A subida termina numa guarita com cancela Aproveite o belo visual lá do alto e pergunte ao guardinha onde fica a região dos lagos para se refrescar Se bater uma fome não se preocupe pois há muitas lojas e restaurantes Dá até pra exagerar um pouquinho porque a volta pelo mesmo caminho é só descida TREKKING NOTURNO Por Cassio Waki Percurso 10 km até o pico da Bandeira em Minas Gerais Duração 6 horas à noite com parada para descansar O que levar headlamps ou lanternas e roupa para o frio Ficar sobre as nuvens admirando um nascer do sol É o que você faz ao chegar ao topo do pico da Bandeira depois de um trekking de 10 km O mais legal é fazer durante a madrugada para chegar ao pico por volta das 6 da manhã conta Ricardo Yuji 30 anos diretor da North Brasil empresa que realiza provas de enduro a pé A entrada é na cidade de

    Original URL path: http://revistagooutside.com.br/3412-vai-pra-onde (2015-10-13)
    Open archived version from archive